Menu Fechar

António Almeida Henriques: a morte aos 59 anos vítima de problemas decorrentes à Covid-19

O presidente da Câmara de Viseu, António Almeida Henriques, morreu no passado dia 04 de abril, aos 59 anos, no viseense Hospital de São Teotónio, vítima de complicações respiratórias decorrentes da Covid-19.

O autarca social-democrata realizou o teste à Covid-19 em 4 de março e, apesar do resultado positivo, sentia-se bem e “apenas com sintomas ligeiros”, tendo continuado a trabalhar a partir de casa.

No entanto, poucos dias depois, devido à agudização dos sintomas, dirigiu-se às urgências do Hospital de São Teotónio e acabou por ficar internado “para melhor avaliação da evolução”.

A 10 de março, Almeida Henriques foi transferido para a Unidade de Cuidados Intensivos, devido “agravamento da insuficiência respiratória”, que “levou à necessidade de entubação e ventilação mecânica”.

“António Almeida Henriques tinha 59 anos e era Presidente da Câmara Municipal de Viseu desde 2013. A sua elevada cultura democrática e competência política, levaram-no a ocupar diversas funções de grande responsabilidade, tanto ao nível do associativismo, como a nível político”, recorda o município.

“Foi deputado à Assembleia da República, nas IX, X e XI e XII Legislaturas e Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do PSD entre 2005 e 2007 e 2010 e 2011. Entre 2011 e 2013, exerceu funções como secretário de Estado Adjunto da Economia e Desenvolvimento Regional do XIX Governo Constitucional, liderado por Pedro Passos Coelho”, acrescenta.

“Foi ao concelho de Viseu, terra onde nasceu e onde sempre viveu, que António Almeida Henriques dedicou os melhores anos da sua vida”, lembra ainda o município.

Segundo a autarquia, Almeida Henriques desempenhou diferentes funções na vida política local e regional, tendo sido Presidente da Assembleia Municipal de Viseu durante oito anos, nos mandatos de 2005/2009 e 2009/2013,

A Câmara sublinha que António Almeida Henriques “liderava o Município de Viseu desde 2013 e tinha como grande objetivo completar o projeto desenhado durante a sua primeira candidatura, que visava colocar Viseu entre os melhores concelhos de Portugal”.

“Destacava-se pelo seu sentido de justiça e retidão, e estava sempre disponível para parar e ouvir os viseenses e os colaboradores da autarquia. O projeto de vida de António Almeida Henriques era Viseu, porque, como muitas vezes dizia, ‘não podia ser Presidente de outra Câmara’. A sua partida é, por isso, uma perda irreparável para Viseu, para a região e para País”.

 

Texto e foto: CMViseu / Etc e Tal jornal

 

01mai21

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.