Menu Fechar

Escolas de Ponte de Lima entre as 50 que mais diminuíram o insucesso no Ensino Básico em Portugal

Os Agrupamentos de Escola de Arcozelo, Freixo e António Feijó estão entre as 50 escolas, do Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar (PNPSE), que mais reduziram a retenção no biénio 2016-2018.

O PNPSE foi criado em 2016, através da Resolução de Ministros de nº23/2016, partindo do princípio que são “as comunidades educativas quem melhor conhece os seus contextos, as dificuldades e potencialidades, sendo, por isso, quem está melhor preparado para encontrar soluções locais e conceber planos de ação estratégica, pensados ao nível de cada escola, com o objetivo de melhorar as práticas educativas e as aprendizagens dos alunos.”

Há um enfoque na Escola e em todo o seu contexto local; assim como envolver, na promoção do sucesso escolar, toda a comunidade educativa – designadamente: profissionais das escolas, pais e encarregados de educação, autarquias e instituições locais. Partindo deste princípio, as escolas envolvidas no PNPSE, desenvolveram estratégias para combater o insucesso, percebendo e reconhecendo – pormenorizadamente – as suas fragilidades. Foi trabalhando sob as mesmas que as escolas de Ponte de Lima supramencionadas conseguiram reduzir as taxas de retenção, a saber:

No 2º ano de escolaridade

As Escolas de Freixo, que no biénio 2014-2016 tiveram uma taxa retenção de 9,4% conseguiram reduzi-la a 100%, obtendo em 2016-2018 uma taxa de 0,0%;

As Escolas António Feijó, que no biénio 2014-2016 tiveram uma taxa de retenção de 2,9%, conseguiram reduzi-la em 78,8%, obtendo em 2016-2018 uma taxa de 0,6%.

No 5º ano de escolaridade

As Escolas de Freixo, que no biénio 2014-2016 tiveram uma taxa retenção de 4,3% conseguiram reduzi-la a 100%, obtendo em 2016-2018 uma taxa de 0,0%;

As Escolas de Arcozelo, que no biénio 2014-2016 tiveram uma taxa de retenção de 3,9%, conseguiram reduzi-la em 100%, obtendo em 2016-2018 uma taxa de 0,0%.

No 7º ano de escolaridade

As Escolas de Freixo, que no biénio 2014-2016 tiveram uma taxa retenção de 6,7% conseguiram reduzi-la a 100%, obtendo em 2016-2018 uma taxa de 0,0%;

As Escolas de Arcozelo, que no biénio 2014-2016 tiveram uma taxa de retenção de 11,3%, conseguiram reduzi-la em 100%, obtendo em 2016-2018 uma taxa de 2,3%.

PONTE DE LIMA É O CONCELHO MAIS JOVEM DO DISTRITO DE VIANA DO CESTELO E O DE ENVELHECIMENTO MAIS BAIXO

Foto: Medium

No contexto da realidade demográfica do concelho, Ponte de Lima, de acordo com os Indicadores Estatísticos de Caracterização da Região Norte, atualizados a 15 de junho de 2020 (fonte INE), apresenta a Taxa de Proporção de Jovens dos 0 aos 14 anos mais alta do distrito (12,1%).

Mostra-se igualmente positivo, na lógica de uma análise comparativa, o facto de Ponte de Lima registar um valor inferior, quando confrontado com os restantes municípios do distrito de Viana do Castelo, no que diz respeito ao índice de envelhecimento (população residente com 65 ou mais anos por cada 100 jovens com menos de 15 anos) de 182.8, sendo a média do Alto Minho de 225.70.

MUSEU DOS TERCEIROS NA REDE PORTUGUESA DE MUSEUS

O Museu dos Terceiros já faz parte da Rede Portuguesa de Museus, tendo sido aprovada a sua credenciação através do despacho nº 3533/2021, assinado pela Ministra da Cultura, Graça Fonseca, e publicado no Diário da República a 5 de abril de 2021.

Instalada no conjunto arquitetónico formado pelo antigo Convento de Santo António dos Capuchos e pelo edifício da Ordem Terceira de São Francisco, a mais antiga instituição museológica de Ponte de Lima tem à sua guarda um notável património religioso, que tem vindo a proteger, recuperar, estudar e valorizar, contribuindo igualmente para a divulgação e conhecimento do acervo sacro existente nas diversas freguesias do concelho de Ponte de Lima.

A adesão à Rede Portuguesa de Museus (RPM), organização que reúne já mais de 150 museus, é o reconhecimento do trabalho desenvolvido pelo Museu, mormente no que toca ao cumprimento cabal das funções museológicas, que vão desde o inventário e a investigação até à conservação, divulgação e valorização do património, funções essas que são depois exponenciadas sobretudo através dos serviços educativos e das exposições temporárias, dirigidos às escolas e à comunidade em geral.

O culminar deste processo de credenciação funciona também como um poderoso estímulo para o Município de Ponte de Lima e para o Instituto Limiano, entidades que tutelam o Museu, assim como para os que aí trabalham diariamente, no sentido de continuar a lutar pela preservação e valorização do património histórico de Portugal e de Ponte de Lima.

CAMINHO DE TORRES: O OUTRO ITINERÁRIO JACOBEU EM PONTE DE LIMA

Foto: Medium

O Caminho de Torres, assim batizado devido ao nome do famoso peregrino espanhol Diego de Torres Villarroel, que pela primeira vez o fez no século XVIII, num percurso desde Salamanca a Santiago de Compostela, atravessa, vindo de Braga, o nosso concelho na margem sul do rio Lima, desde Anais a Ponte de Lima, atravessando Fornelos e a Queijada, até convergir, em Ponte de Lima, com o tradicional Caminho Português de Santiago.

É um dos itinerários jacobeus já devidamente organizados e definidos em Portugal, objeto de um investimento global de 1 milhão de euros, cofinanciado a 85% pelo Programa Operacional Regional do Norte (Norte 2020), através do FEDER (Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional), no âmbito de um projeto iniciado em 2017, denominado “Valorização Cultural e Turística do Caminho de Santiago – Caminho de Torres”, que junta diversas Comunidades Intermunicipais, entre elas a do Alto Minho.

No troço do caminho em Ponte de Lima, que abrange uma extensão de cerca de 23km, foi já instalada a sinalética padronizada conforme as normas internacionais do Plano Jacobeu, assim como áreas de descanso nas freguesias da Queijada e da Labruja, prevendo-se para muito breve trecho a colocação de um painel informativo em Ponte de Lima, já preparado. Foi também realizada uma ação de sensibilização sobre o Caminho de Torres, sua contextualização e importância, que contou com a presença de representantes das várias freguesias (Anais, Fornelos e Queijada, Rebordões Souto, Arca e Ponte de Lima, Arcozelo, Labruja) cruzadas por esta via jacobeia.

 

Texto e fotos: Gabinete Terra (CMPL) / Etc e Tal jornal

 

01mai21

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.