Menu Fechar

Queimódromo ganha área verde e perde alcatrão com a expansão do Parque da Cidade

A obra do remate poente do Parque da Cidade já arrancou. Inclui a renaturalização de cerca de 6.500 metros quadrados de área pavimentada do Queimódromo, que passam a integrar este espaço verde, e a plantação de cerca de 2.800 árvores e arbustos.

Os trabalhos em curso enquadram-se na terceira e última fase da conclusão da obra do Parque da Cidade, de acordo com o projeto do professor e arquiteto paisagista Sidónio Pardal. A intervenção visa proceder a modelações do terreno reconfigurando este espaço com a criação de três novas unidades de paisagem significativas, com as quais a estrutura global do parque fica concluída.

Complementarmente, é assegurado o melhoramento das acessibilidades na zona de transição entre o Parque da Cidade, o viaduto e a frente marítima. Destaca-se, igualmente, nesta intervenção o avanço da área verde sobre uma parte alcatroada do Queimódromo.

O Parque da Cidade é uma estrutura viva, dinâmica, em constante transformação, o que requer um permanente e cuidado trabalho, conduzido de acordo com a génese da sua conceção paisagista, observando critérios estéticos e funcionais. Neste processo, a Câmara do Porto informa que há necessidade de podar, de plantar, mas também de abater alguns exemplares que serão largamente compensados com novas plantações.

Com a empreitada que decorre neste momento prevê-se a plantação de cerca de 1.370 árvores e 1.430 arbustos, para além das cerca de 500 árvores recentemente plantadas para reforçar a vegetação existente no maior espaço verde da cidade do Porto. Um reforço que vai ao encontro da estratégia municipal para a expansão das áreas verdes.

Durante a obra, o perímetro da zona de intervenção encontra-se cercado com uma vedação de segurança, mantendo-se aberto o acesso ao Parque da Cidade, a partir da frente marítima, pelo percurso mais utilizado, junto às escadas de acesso ao Sealife.

A gestão da obra está sob responsabilidade da empresa municipal GO Porto e corresponde a um investimento superior a 2,6 milhões de euros. A empreitada tem um prazo de execução de 240 dias, prevendo-se a sua conclusão para o final de novembro.

 

Texto: Porto. / Etc e Tal jornal

Fotos: Filipa Brito (Porto.)

 

01mai21

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.