Menu Fechar

“Corrida” à Câmara do Porto – CDU volta a confiar em Ilda Figueiredo! PPM apresenta Diogo Araújo Dantas como seu cabeça-de-lista!

Rui Sá, candidato, pela CDU, à presidência da Assembleia Municipal do Porto, foi o protagonista da apresentação pública dos principais candidatos da coligação PCP-PEV à autarquia portuense, realizada no passado dia 14 de maio, na Praça D. João I, e que contou com a presença do secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, ao lançar fortes críticas à gestão de Rui Moreira, e não só.

Para o antigo vereador do Ambiente, em tempos de Rui Rio como líder da Câmara do Porto, há já um “desastre anunciado” para a região devido à política que classificou de “monocultura do turismo” praticada pelo atual presidente da autarquia; autarquia que “precisa de autarcas que não se candidatem por meras razões de taticismo partidário, mais preocupados com marcações individuais entre fações e protagonismos pessoais”.

No entender do candidato comunista à Assembleia Municipal, o Porto prescinde de “candidatos ziguezagueantes, entre o apoio e a oposição ao atual presidente da Câmara e que se apresentam, mesmo sendo segunda escolha, para salvar a face do líder”, referindo-se ao candidato do PSD, Vladimiro Feliz, que, há oito anos, terá sido o mentor da candidatura de Moreira à autarquia tripeira.

Referindo que “não haverá movimento de Rui Moreira para lá de Rui Moreira”, Rui Sá salientou que tal facto “trará instabilidade, na certeza de que muitos, que pretendem manter os cargos para além de 2024, estarão dispostos a mudar-se, com armas e bagagens, para quem esteja disponível para os manter no poder”.

 Ilda Figueiredo: “O avanço da Regionalização é necessário para defender o Poder Local democrático

  Já Ilda Figueiredo, candidata comunista, pela CDU, à presidência da Câmara Municipal do Porto, começou por criticar a política de transferência de encargos da Administração Central para as autarquias, “em áreas tão sensíveis como educação, saúde, proteção social e habitação pública”, isto com a “subalternização dos órgãos metropolitanos” e o “embuste da democratização das CCDR”.

A atual vereadora, sem pasta, na Câmara do Porto, e que mantém a sua posição quanto à reposição das freguesias integradas em uniões, salientou que “impõe-se o avanço da Regionalização e a necessária alteração da lei”, no sentido de ser “defendido o poder local democrático, os serviços públicos de qualidade e os direitos das populações”.

 Jerónimo de Sousa: “A CDU recusa esconder-se sob falsos projetos independentes

Jerónimo de Sousa, por seu turno, salientou que a “CDU é “uma força que se recusa a esconder-se sob falsos projetos ditos independentes que, a coberto de listas de cidadãos eleitores, acolhem na maioria dos casos disfarçadas coligações, arranjos partidários ou instrumento para promover interesses económicos ou ambições pessoais”.

O secretário-geral do PCP, e no que toca à política regional, considerou que o “chamado processo de democratização das CCDR, que uniu PS e PSD, não é mais do que uma manobra para iludir e justificar a ausência de regionalização”, considerando que a transferência de encargos “em nome de uma falsa descentralização”, visa “desresponsabilizar o Estado”.

PPM APRESENTA DIOGO ARAÚJO DANTAS COMO CANDIDATO À PRESIDÊNCIA DA CÂMARA MUNICIPAL DO PORTO

O economista Diogo Araújo Dantas vai ser o candidato do PPM à presidência da Câmara Municipal do Porto.

Diogo Araújo Dantas, 48 anos e natural do Porto, vai liderar uma candidatura que tem o propósito de “devolver à Antiga, Mui Nobre, Sempre Leal e Invicta Cidade do Porto o papel nacional e prestígio internacional que a cidade há muito merece e que, infelizmente, tem estado relegado ao de um pequeno burgo sem expressão”.

É a pensar num Porto “sempre honrado e reivindicativo, justo e liberal, burguês e empreendedor, feito de gentes que preferem o “antes quebrar que torcer”, que Diogo Dantas se candidata pelo PPM.

“Esta não é a cidade que procura negociar migalhas a Lisboa, esta é a cidade que construiu Portugal e que aceita Lisboa como sua capital, mas que não aceita perder a sua identidade Global”, salientam o candidato monárquico.

O PPM refere ainda que “não esgota a sua participação politica apenas na questão de regime e carater patriota, mas é também um partido que, desde a sua fundação, logo após o 25 de Abril, marcou a agenda em relação a questões que, na altura, eram entendidas como “menores”, mas que hoje são vistas como as essenciais para o progresso humano”.

Encontro com Bispo do Porto

Entretanto, na manhã do passado dia 14 de maio, a candidatura do PPM à Câmara Municipal do Porto foi recebida pelo senhor Bispo do Porto, Dom Manuel Linda, numa audiência no Paço Episcopal. O PPM refere ainda que além da Câmara Municipal, irá apresentar listas à Assembleia Municipal e Assembleias de Freguesia.

 

CANDIDATOS (DECLARADOS) À PRESIDÊNCIA DA CÂMARA MUNICIPAL DO PORTO

 

André EiraVolt

Diogo Araújo DantasPartido Popular Monárquico

Ilda FigueiredoColigação Democrática Unitária (PCP-PEV)

Nuno Cardoso – Independente

Sérgio AiresBloco de Esquerda

Vladimiro FelizPartido Social Democrata

 

BLOQUISTA LUÍS MONTEIRO DESISTE DE CANDIDATURA À CÂMARA DE VILA NOVA DE GAIA

Luís Monteiro, deputado do BE, anunciou, no passado dia 12 de maio, da sua desistência de cabeça-de-lista pelo Bloco de Esquerda à Câmara de Vila Nova de Gaia. Devido às recentes acusações de violência doméstica, feitas por uma antiga namorada, Luís Monteiro também revelou estar indisponível “para integrar qualquer lista candidata” a órgãos do partido. No entanto, vai manter-se no Parlamento.

“Face ao efeito público das calúnias lançadas contra mim e após ponderação, solicitei à comissão coordenadora concelhia do Bloco de Esquerda de Vila Nova de Gaia a minha substituição como cabeça de lista à Câmara Municipal nas próximas eleições autárquicas”, afirmou Luís Monteiro, numa nota enviada à comunicação social.

“Pela mesma razão, até que o processo judicial que promovi esclareça definitivamente a natureza daquelas acusações contra mim, não estarei disponível para integrar qualquer lista candidata a órgãos do Bloco de Esquerda”, lê-se também na nota.

Contudo, Luís Monteiro continuará a exercer as funções de deputado, algo que faz desde 2015. Também continuará a desempenhar cargos ao nível da organização partidária local, “nomeadamente na direção distrital do Porto e na concelhia de Gaia”. O parlamentar refere que estas decisões tiveram a “concordância” da direção do BE.

Luís Monteiro tem 28 anos e ao entrar no Parlamento, em 2015, chegou a ser o deputado mais jovem. No início deste mês foi acusado de violência doméstica por uma antiga companheira, mas negou as acusações e afirmou ter sido ele o ofendido. Ao Público, manifestou a intenção de apresentar uma queixa-crime contra a ex-namorada.

DUARTE GRAÇA É O CANDIDATO DO BLOCO EM PENAFIEL

O Bloco de Esquerda aprovou, recentemente, o primeiro candidato à Câmara Municipal de Penafiel.  Duarte Graça tem 23 anos, vive em Urrô, Penafiel desde os 3 anos de idade. É licenciado em Física pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Atualmente é estudante de Mestrado em Física na mesma instituição.

No seu percurso estudantil, tem estado envolvido em organizações de estudantes de Física a nível local, nacional e internacional, sendo atualmente Presidente da International Association of Physics Students (Associação Internacional de Estudantes de Física).

Também tem participado em movimentos de defesa de direitos estudantis, incluindo em candidaturas a órgãos universitários. Fora do domínio estudantil, tem também estado envolvido em movimentos ambientalistas e juvenis. É membro da Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda do Porto e do Núcleo do Bloco de Penafiel.

BRUNO MAIA É O CANDIDATO DO “BE” À PRESIDÊNCIA DA CÂMARA DE GONDOMAR…

Bruno Maia é o cabeça de lista do Bloco de Esquerda à Câmara Municipal de Gondomar. Médico especialista em Neurologia e Medicina Intensiva no Centro Hospitalar de Lisboa Central, dedica-se ao diagnóstico e tratamento do Acidente Vascular Cerebral e coordena a doação de órgãos para transplantação. Tem 39 anos, viveu os seus primeiros 25 anos em São Pedro da Cova, onde ainda vive a sua família.

É membro da coordenadora do movimento “Direito a Morrer com Dignidade” que se tem batido pela despenalização da eutanásia, ativista pela legalização da canábis e sócio fundador do Observatório Português de Canábis Medicinal, e dirigente nacional do Bloco de Esquerda.

Foi dirigente do Sindicato dos Médicos da Zona Sul, fez parte do núcleo organizador da 1.ª Marcha do Orgulho LGBTI+ do Porto e do movimento “Médicos Pela Escolha” que durante o referendo pela despenalização do aborto, em 2007, lutou pelo “Sim”. Foi médico voluntário e ativista pelo direito ao tratamento do VIH e acesso à profilaxia pré-exposição.

…e Sara Sampaio à Assembleia Municipal

Sara Santos, 28 anos, é a primeira candidata à assembleia municipal de Gondomar.

É mestre em Estudos Anglo – Americanos e mestranda em Tradução e Serviços Linguísticos. É a atual deputada municipal em Gondomar e eleita na Assembleia de Freguesia de Gondomar, (São Cosme, Valbom e Jovim).

DUARTE TRAVANCA É A APOSTA DO PSD EM MIRANDELA PARA RETIRAR CÂMARA MUNICIPAL AO PARTIDO SOCIALISTA

O PSD de Mirandela apresentou, publicamente, e no passado dia 08 de maio, o seu candidato á presidência da Câmara Municipal. Trata-se de Duarte Travanca, e parte com o lema “Vamos Mudar Mirandela. Este é o momento!” tenta recuperar uma câmara municipal perdida para o PS, e presidida por Júlia Rodrigues.

O candidato de 52 anos não revelou qual a equipa que o vai acompanhar, mas já avançou com algumas das propostas que vai incluir no programa eleitoral, destacando cinco vetores estratégicos da sua candidatura: educação, cultura, economia, saúde e turismo.

 

 

Texto: EeTj

Fotos: pesquisa Web e enviadas pelas partidos concorrentes.

 

 

01jun21

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.