Menu Fechar

“DESPORTO NO BAIRRO” LEVA BREAKING, SKATE E SURF A 14 BAIRROS DO PORTO

 Com a “grande responsabilidade” de “fazer mais e melhor”, já decorre até meados de julho, a segunda edição do Desporto no Bairro, isto de segunda a sábado, desta feita, com mais duas modalidades além do breaking – o skate e o surf –, e mais seis bairros, os quais vão receber as aulas dadas por mais de 20 professores. O investimento subiu e é agora de cerca de 100 mil euros. A sessão de apresentação teve lugar na no Parque da Pasteleira.

Em 2020, mais de 600 participantes tiveram aulas de breaking, com Max Oliveira, fundador dos Momentum Crew, o primeiro grupo de dança urbana em Portugal. Em dezembro, levaram ao palco do Pavilhão Rosa Mota e “foi um memorável espetáculo, recorda o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira.

“Superámos as nossas expetativas, queríamos chegar a 150 jovens, e foi fabuloso que tenhamos conseguido inspirar mais de 600”, confessa a vereadora com o pelouro da Juventude e Desporto, Catarina Araújo.

“Fizemo-lo sem impor nada, indo apenas ao seu encontro e dando-lhes uma opção para se divertirem, aprenderem algo novo e descobrirem uma nova paixão. Bastou um rádio e um linóleo estendido no chão. O resto foi o sucesso que todos conhecemos”, sublinhou o presidente da Câmara.

Para o autarca, o “processo de mudança de vidas”, trazido por um projeto que pretende inspirar os jovens “a encontrar um caminho, potenciando novas aprendizagens e novas competências sociais, diluindo barreiras culturais e geográficas” e fazendo deles “cidadãos mais autoconfiantes” é “o melhor dos méritos que podemos apontar”.

“Com as ferramentas e os parceiros certos é possível fazer a diferença na vida destas crianças e jovens, a diferença na cidade”, considerou o autarca.

Desta vez, aos bairros da Pasteleira, Pinheiro Torres, Ramalde, Campinas, Aldoar, Fonte da Moura, Viso, Cerco e Lagarteiro, o Desporto no Bairro vai ser alargado a Francos, Contumil, Pio XII, São Tomé, Carriçal e Agra do Amial, num total de 14 divididos por seis polos principais.

PROMOVER SONHOS E MODALIDADES OLÍMPICAS

Além do breaking, que se estreia no programa olímpico em 2024 e que “continuará a ser a pedra basilar deste programa municipal”, outra novidade olímpica a integrar o Desporto no Bairro é o skate, que se quer dar a conhecer aos mais jovens como “desporto saudável e gerador de boas práticas”, frisou Rui Moreira. Recorde-se que, recentemente, a cidade recebeu a primeira etapa da “Liga Pro Skate” e tem disponibilizado aulas gratuitas para todas as idades no Skate Park de Ramalde.

E “porque também é disto que trata o Desporto no Bairro: descobrir, despertar novas paixões”, os jovens vão poder ter aulas de surf. “Queremos desmistificar a ideia de que o surf é um desporto apenas para elites, tornando-o verdadeiramente acessível a todos, independentemente da idade, do sexo ou do estrato social”, sublinhou o presidente da Câmara do Porto.

Rui Moreira concluiu deixando a ideia de que “é também para isso que trabalhamos diariamente: para construir uma cidade cada vez mais aberta à cultura e ao desporto, todos os dias do ano e em todas as suas latitudes, mas sobretudo para uma cidade que queremos fazer com todos e para todos”.

A vereadora da Juventude e Desporto assegura que a missão “é continuar a desafiar e a inspirar os jovens, dizer-lhes que é possível sonharem connosco e, através desta prática desportiva, tocá-los, não só nas suas competências pessoais, mas também profissionais. Mostrar-lhes que há um caminho e que esse caminho pode ser feito connosco”.

Pedro Flores, coordenador das aulas de surf do Desporto no Bairro, lembrou o projeto que a junta da União de Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde, pela mão de Nuno Ortigão, já levava a cabo na área do surf dirigida à comunidade de etnia cigana. E, tal como a fábula que contou sobre o surfista que salvava estrelas-do-mar, também este projeto poderá reclamar para si o papel de marcar a diferença na vida dos jovens.

A parte de skate vai ser assegurada pelo skater portuense João Neto, para quem o objetivo é “conseguir traduzir toda a felicidade que os skate me trouxe, mostrar que [os jovens] vão poder aprender e crescer muito com o skate”. Já as aulas de breaking, à semelhança da edição anterior, serão coordenadas por Max Oliveira. O “b-boy” mostrou-se “muito feliz por a nossa cidade continuar a apostar, acima de tudo, na mudança de vidas”. “No ano passado, criámos uma luz ao fundo do túnel, uma estrelinha que voltou a ganhar vida e a ver um caminho onde muita gente não vê que ele existe”, acrescentou.

A sessão de apresentação, no Parque da Pasteleira, onde estiveram ainda o vice-presidente, Filipe Araújo, os vereadores Fernando Paulo e Pedro Baganha, e a presidente da junta da União de Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos, Sofia Maia, terminou com uma atuação dos formadores do projeto de breaking e uma surpresa de dois dos jovens participantes na iniciativa do ano anterior.

O Desporto no Bairro é promovido pela empresa municipal Ágora, cuja secção de desporto usufrui agora de um espaço reabilitado na Casa de Chá do Parque da Pasteleira, uma reabilitação que, para o presidente da Câmara do Porto, “é um sinal de que nós queremos estar presentes em todos os espaços da cidade e este parque em particular merecia essa atenção”.

 

Texto: Porto. / Etc e Tal jornal

Fotos: Filipa Brito (Porto.)

 

01jun21

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.