Menu Fechar

Museu de Ovar “ficará mais próximo” do espólio do artista plástico José Mouga que Viseu vai receber

A recente notícia sobre o espólio do artista José Mouga que vai ser recebido na Quinta da Cruz – Centro de Artes Contemporânea de Viseu, alcançado que foi um acordo entre a sua família e a autarquia, para reunir 120 telas deste artista plástico que nasceu em Viseu, em 1942. Torna o Museu de Ovar, em que José Mouga realizou a sua primeira exposição no âmbito dos trabalhos de curso no ano letivo 1961/62 ainda enquanto aluno da Escola Superior de Belas-Artes do Porto onde se Licenciou em Pintura, “mais próximo” da obra e do espólio deste artista, que ainda antes de morrer, em 2016, voltou em 2014 a estar presente na inauguração da sua exposição “Ensaio sobre a Solidão” realizada no Museu de Ovar que tem José Mouga como um dos mestres da pintura representado também no seu vasto espólio de arte.

José Mouga (o primeiro, da direita para a esquerda)

Parte da obra de José Mouga que o Museu de Ovar teve o privilégio de acolher e partilhar com seus visitantes, destacando então a abordagem sobre “as diferentes cores da solidão”, num tempo como o que se continua a viver, em que a solidão dos idosos muitas vezes resulta em noticias inquietantes. Como também foi reconhecido em 2014 pelo próprio autor da exposição “Ensaio sobre a Solidão”, em que justificou o fundo escuro que predomina em alguns dos seus trabalhos, considerando, “somos pessoas muito de preto. Somos peninsulares!”. Este regresso foi uma oportunidade de revisitar o Museu de Ovar, meio século depois da sua estreia em exposições, quando este Museu dava os primeiros passos na sua missão museológica pelas mãos de um dos seus fundadores e primeiro Diretor, José Augusto de Almeida.

Fica assim bem próxima a relação umbilical do Museu de Ovar com o espólio do artista plástico José Mouga que vai ficar disponível no centro de arte contemporânea em Viseu como coleção própria de pintura, desenho, escultura e cadernos de registo. Obras de um dos grandes nomes da arte contemporânea dos séculos XX e XXI, que ganharão novas dinâmicas culturais.

O município de Viseu propõe-se criar uma reserva visitável da obra de José Mouga na Quinta da Cruz, garantindo condições técnicas para receber as obras que irão de Cascais, em que funcionou o seu ateliê e em que se mantem grande parte do espólio, que vai ser transportado para Viseu, nomeadamente as 120 telas de médio e grande formato, entre outros elementos que testemunham o legado e a obra de José Mouga.

 

Texto: José Lopes

Fotos: Arquivo (José Lopes)

 

01jun21

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.