Menu Fechar

“Top Girls” na Sala Garrett do Teatro Nacional D. Maria II. É “resgatar ao silêncio a voz de um grupo de mulheres notáveis”… até 05 de junho!

O primeiro gesto de Caryl Churchill, em Top Girls, é resgatar ao silêncio a voz de um grupo de mulheres notáveis que a História raramente refere.

Sentadas à mesma mesa, para jantar, encontram-se: a Papisa Joana (séc. IX), que chefiou a igreja católica disfarçada de homem; Isabella Bird (séc. XIX), viajante, investigadora, fotógrafa e escritora; Gret, pintada por Brueghel O Velho, que, liderando um exército de mulheres, enfrenta os demónios no inferno; Nijo (séc. XIII), dama japonesa educada na corte para ser concubina do Imperador e a paciente Griselda, personagem do conto X do Decameron de Boccaccio.

Depois, uma colagem de cenas aparentemente díspares, traça o percurso da ascensão ao poder de uma “mulher de sucesso” contemporânea. Sete atrizes dão corpo a dezasseis personagens, numa peça que olha para uma sociedade estruturalmente patriarcal, onde questões de raça, género e classe ganham nova pertinência no período de crise global que atravessamos.

 

Texto Caryl Churchill
Direção Cristina Carvalhal

Tradução Joana Frazão

Com Alice Azevedo, Beatriz Brás, Jani Zhao, Nádia Yracema, Sandra Faleiro, Sara Carinhas, Sílvia Filipe

Música Sérgio Delgado

Cenário e figurinos Nuno Carinhas

Desenho de luz Rui Monteiro
Assistente de encenação Leonor Buescu

Produção executiva Bruno Reis, Sofia Bernardo

Produção Causas Comuns

Coprodução Teatro Nacional D. Maria II
Apoio Junta de Freguesia de Arroios

 

 

Texto e imagem: TNDMII / Etc e Tal jornal

 

01jun21

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.