Menu Fechar

Braga – Câmara transfere mais de 885 mil euros para obras nas freguesias e apoios a entidades

O Município de Braga vai transferir mais de 885 mil euros para obras em diversas Freguesias do Concelho e apoios a várias entidades culturais, desportivas e sociais, dando assim continuidade à política de proximidade em prol do desenvolvimento de todo o território.

A maior fatia, no total de 270.608,86 €, cabe à União de Nogueira, Fraião e Lamaçães, com 157.288,59€ a serem destinados à requalificação do cemitério de Nogueira, 105.900,27€ para a requalificação do cemitério de Lamaçães e 7.420,00€ para a intervenção na Travessa do Pinheiro, também em Lamaçães.

Para a União de Freguesias de Nogueiró e Tenões a Autarquia Bracarense vai atribuir 25.215,00€ para a elaboração do projecto para a Creche.

A União de Freguesias de Vilaça e Fradelos irá receber 67.158,61€ para a requalificação do cemitério de Vilaça, para a União de Freguesias Merelim S. Paio, Panoias e Parada de Tibães serão transferidos 23.408,21€ para o Parque Infantil da Praia Fluvial de Merelim S. Paio, e Pedralva vai receber 63.508,80€ para a requalificação do Parque Infantil e Fitness.

Para a União de Freguesias de Morreira e Trandeiras serão transferidos 36.731,01€ para a zona de estacionamento na Rua da Igreja, em Trandeiras, e Sequeira irá receber 51.113,84€ para a requalificação parcial da Rua das Caldas.

A União de Freguesias de Merelim S. Pedro e Frossos irá receber 10.891,36€ com vista à a iluminação e marcação do piso no Parque de Gerizes, e para a União de Freguesias de Cabreiros e Passos S. Julião serão transferidos 2.542,73€ para a para a instalação de um abrigo de paragem de autocarros no Largo de Paulinhos, em Cabreiros, e 36.479,71€ para o alargamento e pavimentação da Rua do Barroco, em Passos S. Julião

Já à Freguesia de Ruilhe, será atribuído o valor de 43.050,00€ para execução do projeto ‘Ruilhepark’, à União das Freguesias de Celeirós, Aveleda e Vimieiro, serão transferidos 1.842,51€ para a pavimentação da Rua do Picoto, em Vimieiro, 74.119,63€ para o projeto e obras de requalificação da Rua Nova do Noval, em Aveleda, 2.484,60€ para a requalificação parcial da Av. da Igreja de Celeirós. Ainda na mesma União de Freguesias, serão atribuídos 38.767,95€ para a construção de um espaço de jogos e recreio da EB1 de Aveleda.

Para Lomar e Arcos, o Município vai transferir 68.587,09€ para a execução do Parque Infantil do loteamento do Ventoso, em Lomar; 44.298,72€ para Gualtar com vista à construção de um espaço de lazer e estacionamento na Quinta do Capa.

Município prossegue política de apoio às entidades do Concelho

Também nesta reunião foram aprovados os apoios a entidades desportivas, culturais e socias do Concelho de Braga. Dessa forma, o Executivo Autárquico propõe um apoio financeiro no valor de mil euros à União das Misericórdias Portuguesas, 5.500.00€ ao Agrupamento de Escolas de Trigal Santa Maria, assim como 25 mil euros à Associação Portuguesa de Escritores para o Prémio Vida Literária Vítor Aguiar e Silva.

Para a Associação Cultural Rodellus serão atribuídos 17.500,00€ para a realização do 6º Rodellus Music Fest, e para a ARCUM – Associação Recreativa e Cultural da Universidade do Minho serão atribuídos 5 mil euros para a realização do festival ‘Do Bira ao Samba’. O Município vai, também, renovar o apoio financeiro à Associação Planet Capacity (UAI), no valor de 2.430,00€, com vista a garantir a continuidade da actividade de atendimento gratuito e integração à comunidade luso-brasileira.

Há ainda contratos-programa a celebrar com o Clube Bracara Academia de Bilhar, no valor de 2 mil euros, com a Smiling Dragon Associação Karaté no valor de 323,50€, com o Núcleo de Escalada Montanhismo e Alpinismo (mil euros) e com a Associação de Andebol de Braga com o valor de 2.777,50€. Foi ainda aprovado o aditamento ao contrato-programa celebrado com o Arsenal Clube da Devesa para a cedência do bar da Piscina Municipal das Parretas durante os meses de Julho e Agosto.

“CIM CÁVADO” APONTA CAMINHO DA INOVAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TERRITÓRIO

A Estratégia de Desenvolvimento ‘Cávado 2030’ aponta o caminho da inovação, da coesão territorial e social, assente na sustentabilidade de todo o território. As linhas instrutoras desta estratégia, elaborada pela Comunidade Intermunicipal do Cávado (CIM Cávado), foi apresentada esta Sexta-feira, numa sessão que decorreu no Altice Forum Braga, numa iniciativa realizada em parceria com o Jornal de Negócios.

“O ponto de partida para esta estratégia ‘Cávado 2030’ partiu da consciência daquilo que somos hoje e da ambição do que pretendemos ser num horizonte temporal de dez anos. Hoje, apresentamos um documento que aponta um caminho que tem um pilar fundamental ligado à inovação, à capacidade de sermos um território diferenciador com base no conhecimento que é gerado, ligado à coesão territorial e social e com forte aposta na capacitação da administração enquanto instrumento de resposta para cada uma das prioridades”, referiu Ricardo Rio, presidente do Conselho da CIM Cávado e da Câmara Municipal de Braga, sublinhando que a construção desta estratégia resultou de um processo aberto que deu voz a dezenas de instituições e aos próprios cidadãos que deram contributos para o enriquecimento deste plano através do processo de participação pública.

O documento reúne as linhas de atuação para os próximos anos, enquadrada no contexto da preparação do próximo período de programação dos Fundos Europeus Estruturais de Investimento (2021/2027), e terá incidência no desenvolvimento do território da NUT III Cávado.

O documento esteve em consulta pública entre os dias 15 e 30 de Maio, e reúne os diversos contributos de instituições públicas e privadas e, em particular, das autarquias locais que constituem a CIM Cávado: Amares, Barcelos, Braga, Esposende, Terras de Bouro e Vila Verde.

“A CIM Cávado representa um território muito rico e, simultaneamente muito diversificado. É um território que tem um enormíssimo potencial, com recursos endógenos que importa valorizar e que tem várias oportunidades de desenvolvimento que resultam da capacidade dos agentes que aqui têm desenvolvido o seu trabalho”, referiu Ricardo Rio, destacando os centros de conhecimento, como as Universidades e os Politécnicos, o diversificado tecido empresarial e com uma vocação predominantemente exportadora, assim como a componente do turismo e da dinâmica social, cultural e comercial de todo a região.

Durante a sessão de abertura, que contou também com a presença de António Cunha, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), Ricardo Rio destacou que a elaboração deste documento foi “um exercício distinto”, uma vez que até agora sempre foi procurado ajustar este tipo de estratégia à pré-formatação dos instrumentos de financiamento que a União Europeia ia disponibilizando para cada um dos territórios.

“Quisemos ir mais longe e, mesmo não estando alheios às principais preocupações europeias, nacionais e regionais que cada uma das instâncias vai apontando como prioridades para o futuro próximo, quisemos ligar cada uma dessas prioridades com as oportunidades de financiamento que irão surgir ao longo dos próximos anos que serão substanciais ao juntar o final do atual quadro de financiamento com o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e com o novo quadro comunitário”, explicou o Autarca Bracarense, lembrando que dessa forma “estamos a falar de muitos milhões de euros que estarão disponíveis para apoiar as opções de desenvolvimento deste e de todos os outros territórios”.

Segundo Ricardo Rio, a Cultura é tida como rampa para o desenvolvimento de um território que quer ser sustentável e que quer apostar na vertente cultural tendo bem presente a candidatura de Braga a Capital Europeia da Cultura em 2027 “que poderá ser uma poderosa alavanca para o desenvolvimento integral de toda esta região”.

“Graças a todos estes contributos chegamos a um documento final extremamente bem conseguido, que aponta as linhas de orientação para o futuro, mas falta agora fazer. E para isso, contamos com o apoio de todos e com aqueles que connosco interagem diariamente a nível nacional e regional”, concluiu Ricardo Rio, agradecendo aos dinamizadores de todo este projeto “que deram corpo a muito do trabalho realizado ao longos dos últimos meses”.

MUNICÍPIO VAI AVANÇAR COM CONSTRUÇÃO DAS PRAIAS FLUVIAIS DO CAVADINHO E DE NAVARRA

O Município de Braga vai avançar com a construção das Praias Fluviais do Cavadinho e de Navarra, num investimento superior a um milhão de euros. Após a abertura dos procedimentos concursais e já com a obra adjudicada, a Autarquia Bracarense prepara-se para dotar as duas áreas marginais ao Rio Cávado das infraestruturas necessárias ao reconhecimento das mesmas como Praias Fluviais.

Uma vez que se encontra aberta a corrente época balnear, o Município optou por agendar o início dos trabalhos para Setembro de forma a não privar os regulares utilizadores da fruição dos dois espaços e da circulação pedonal e viária ribeirinha das zonas envolventes. Face ao atual estado pandémico, entendeu-se, ainda, não sobrecarregar a ocupação das praias fluviais existentes, nomeadamente Merlim S. Paio e Adaúfe, contribuindo, assim, para a mitigação do risco de sobrelotações destes espaços.

Com um prazo de execução de dez meses, a Praia Fluvial do Cavadinho terá uma intervenção orçada em 436.782,58€ e a Praia Fluvial de Navarra 451.539,20€. A estes números acresce o valor da taxa de IVA em vigor.

Com uma área de implantação de aproximadamente 10.200m2, a Praia Fluvial do Cavadinho, na freguesia de Crespos, irá ocupar a margem direita do Rio Cávado, com o projeto a prever a criação de espaço de merendas e de estadia; de acesso e fruição da margem e/ou aplano de água; construção de bar e equipamentos de apoio fluvial; parque de estacionamento e vias de ligação entre estacionamentos e os equipamentos; criação de restrição de acessos de veículos à margem e a articulação com o canal da Ecovia do Rio Cávado.

Relativamente à Praia Fluvial de Navarra, que também irá ocupar a margem direita do Rio Cávado, irá dispor de uma área de implantação de aproximadamente 5.800m2, com os trabalhos a incluírem a construção de bar e equipamentos de apoio fluvial; acessos e fruição da margem; formação de parque de estacionamento e infraestruturas de ligação entre estacionamentos e os equipamentos.

 MUNICÍPIO DÁ CONTINUIDADE À REDE DE PROXIMIDADE IMPLEMENTADA ATRAVÉS DO PROJETO “RED MAY”

O Município de Braga irá investir na continuidade da rede de proximidade implementada através do projeto Red May. O anúncio foi efetuado por Sameiro Araújo, vice-presidente do Município de Braga, durante a sessão da “Jornada Técnica”, realizada no âmbito deste projeto.

“Os resultados da implementação do Red May atingiram um nível tão fundamental para a população idosa que o Município, apesar do financiamento comunitário ao projecto ter culminado, irá manter a rede de proximidade suportando o financiamento associado. Do trabalho desenvolvido nas freguesias do Concelho no final do ano 2020 e início de 2021, mesmo assumindo as interrupções referentes aos meses de confinamento, os resultados falam por si no que concerne à necessidade dos serviços proporcionados por esta rede”, disse, adiantando que no espaço temporal elencado foram alcançadas 1133 pessoas e realizaram-se 2255 atendimentos.

“Os números validam e mostram a necessidade do investimento do Município de Braga na continuidade deste projeto de proximidade com a população do Concelho”, referiu Sameiro Araújo, salientando a importância da prevenção e tratamento da saúde mental ser encarada como uma prioridade numa sociedade onde ainda carecem este tipo de apoios

A rede de proximidade social e de saúde permitiu desenvolver nas freguesias do Concelho ações de sensibilização e informação, visitas domiciliárias, sessões de artes plásticas e leitura para o estímulo mental das pessoas idosas. Foram prestados serviços de enfermagem, neuropsicologia e psicomotricidade. De salientar que também foi explorada a vertente digital com programas de fomento da inclusão digital.

O principal fator diferenciador do projeto foi o fácil acesso às várias especialidades. O facto dos serviços se encontrarem disponíveis através de uma rede de proximidade permitiu à população abrangida um acesso mais fluido e simples a várias respostas. Esta facilidade de contacto entre técnicos e população verificou-se imperativa na promoção da melhoria da qualidade de vida das pessoas mais idosas.

A sessão da “Jornada Técnica” contou ainda com um vasto painel de convidados especializados em áreas associadas ao envelhecimento, tais como Luis Miguel Vasquez Carreira (vice-diretor geral para a promoção da autonomia pessoal e prevenção da dependência – Junta da Galiza), Manuel Fernández Iglesias (Professor da Universidade de Vigo), Pedro Morgado (Professor da Universidade do Minho) ou Carla Faria (Professora adjunta e coordenadora do Mestrado em Gerontologia Social do IPVC).

 BRAGA DESENVOLVE PROJETO DE VALORIZAÇÃO ARQUEOLÓGICA DE SANTA MARTA DAS CORTIÇAS

O Município de Braga está a desenvolver um projeto integrado de valorização, musealização e adequação à visita da Estação Arqueológica da Santa Marta das Cortiças. O anúncio foi feito esta Terça-feira, por Ricardo Rio, à margem de uma visita ao Sacro Monte, onde está instalado um baloiço panorâmico que pretende ser uma nova atração turística num dos pontos mais altos da Cidade.

O presidente da Câmara Municipal de Braga explicou que este projeto de valorização patrimonial da Santa Marta das Cortiças resulta de um protocolo tripartido a celebrar brevemente entre a Autarquia, a Junta de Freguesia de Esporões e o Conselho Económico da Paróquia local, sendo desenvolvido em duas fases. A primeira irá decorrer ao longo deste ano, contemplando a remoção de vegetação inerte que cobre as ruinas arqueológicas; a implementação de soluções de conservação dos achados “ao ar livre”; a execução de circuitos de visita, assim como o arranjo paisagístico da área envolvente e o estudo arquitetónico para a criação de um Centro de Interpretação.

A segunda fase terá início ainda no terceiro trimestre deste ano, prolongando-se ao longo de 2022, e prevê a execução do Centro de Interpretação onde ficará instalada uma exposição monográfica apoiada por conteúdos multimédia em auditório virtual.

“Com este projeto pretendemos que Braga passe a dispor de uma ampla área patrimonial musealizada e aberta ao público que se afirmará como um equipamento de grande valor histórico e cultural. Será um espaço verdadeiramente emblemático das origens e evolução da ocupação humana no território Bracarense, reforçando deste modo a singularidade cultural e atratividade turística”, explicou Ricardo Rio.

Miguel Bandeira, vereador do Património do Município de Braga, lembrou que a Santa Marta das Cortiças já é um ponto de atratividade do Concelho ao figurar nos roteiros turísticos da Cidade, mas necessita de uma requalificação à altura do seu valor patrimonial, arqueológico e histórico.

“Este um projeto vem valorizar um dos lugares mais emblemáticos de Braga onde existem muitas referências muito para além do já conhecido pedestal da Nossa Senhora da Assunção.  Poucos se recordarão que uma das primeiras escavações arqueológicas de 1955 que foram aqui realizadas, deu-nos a saber que neste local existem elementos que vão desde a Pré-história à Idade do Ferro ou à cultura Castreja e, curiosamente, neste subsolo existe também um dos poucos testemunhos de uma Basílica Suévica do tempo em que Braga era a capital da Galécia, uma região que vai desde Finisterra, no Norte da Galiza, até ao Douro”, explicou Miguel Bandeira.

Baloiço panorâmico é “pontapé de saída” com “enquadramento majestoso” sobre o Concelho

Como forma de valorizar o espaço e a sua potencialidade turística, a Junta de Freguesia de Esporões instalou um baloiço panorâmico que promete ser uma nova atração para quem visita a Santa Marta das Cortiças. Com uma paisagem a perder de vista, o equipamento está instalado a 561m de altitude, proporcionando uma vista privilegiada sobre o Concelho de Braga.

“Podemos dizer que este é um ‘pontapé de saída’ para um conjunto de atividades de valorização da Santa Marta das Cortiças que queremos desenvolver. Este espaço é fator de atratividade adicional e dá a conhecer um enquadramento majestoso através desta vista para o Concelho, propiciando o contacto com a natureza e, fruto de uma maior circulação de pessoas que visitam este local, contribui ainda para um acréscimo de segurança”, referiu Ricardo Rio durante a visita a convite do presidente da Junta de Esporões, João Oliveira.

CONCLUSÃO DA VARIANTE DO CÁVADO CONSIDERADA CRUCIAL PARA A MELHORIA DA MOBILIDADE EM BRAGA

 

Arrancaram já os trabalhos de conclusão do segundo troço da Variante do Cávado, numa extensão de 1134 metros que vai permitir a ligação à Freguesia de Frossos. A intervenção, no valor de 1,6 milhões de euros, inclui a regularização do Rio Torto, entre a rotunda da Avenida do Estádio e a Estrada Nacional 201.

Esta é uma obra crucial para a melhoria da mobilidade em Braga, como explica o presidente da Câmara Municipal, Ricardo Rio. “Esta variante, que na sua plenitude terá cerca de cinco quilómetros de extensão, será um elemento dissuasor do fluxo de trânsito no acesso à Cidade e, ao mesmo tempo, uma alternativa para quem tiver que se deslocar para as Freguesias de Frossos, Real ou Merelim, sem ter que passar pelo centro de Braga, nomeadamente pelo Nó de Infias”, explica Ricardo Rio.

O autarca adianta ainda que está já a ser elaborado o projeto que vai permitir a extensão da Variante do Cávado até à Freguesia de Ferreiros, nomeadamente à zona do ‘E.leclerc’. “Com a extensão até Ferreiros, boa parte do trânsito será desviado do centro da Cidade. Esta é uma obra que iremos concretizar no próximo mandato e que, a juntar à intervenção no Nó de Infias, constituirá uma verdadeira revolução em termos de mobilidade”, assegura Ricardo Rio.

A renaturalização do Rio Torto é outra das componentes da intervenção agora iniciada e há muito ansiada pela população. Segundo Ricardo Rio, a Câmara Municipal estabeleceu recentemente uma parceria com a Agência Portuguesa do Ambiente, que garante dois milhões de euros adicionais para a realização de uma intervenção mais alargada no rio Torto.

A par da criação de passadiços e ligação de margens, percursos pedonais e zonas de lazer, a intervenção prevê a alteração do traçado da linha de água e a definição das baías de retenção/infiltração e açudes, a beneficiação de passagens hidráulicas, o prolongamento da descarga de efluente tratado e a estabilização das margens.

ALAMEDA MARIA DA FONTE E RUA DAS VERDOSAS GANHAM MAIS ESTACIONAMENTO

 O Município de Braga está a proceder ao reordenamento do estacionamento na Alameda Maria da Fonte e na Rua das Verdosas, na Freguesia de S. Victor. A intervenção nesta zona residencial, situada nas proximidades do Hospital de Braga, levará a um aumento dos lugares de estacionamento.

O vereador das Obras Municipais e Espaço Público, João Rodrigues, explica que além da criação de novas baías de estacionamento, a Autarquia vai também proceder à remarcação dos lugares existentes, à marcação dos eixos da via e, em alguns locais, à reorganização dos sentidos de trânsito. “Depois de vários pedidos dos moradores e também da Junta de Freguesia, os serviços municipais procederam a um estudo prévio que culminará com esta intervenção”, explica o vereador.

João Rodrigues sublinha ainda que o Município tem procurado colmatar a falta de estacionamento existente um pouco por toda a Cidade. “Atualmente, muitas famílias têm mais que um carro por fogo habitacional e os locais para estacionamento não foram pensados para essa realidade. Por outro lado, há famílias que nem sequer dispõem de um lugar de garagem. A Autarquia tem estado atenta a esta realidade e tentado corresponder aos anseios dos moradores sempre que isso é possível”, acrescenta João Rodrigues.

AUTARQUIA INVESTE EM PROGRAMAS DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR EM TODO O CONCELHO

Para além do investimento já anunciado pelo Município de Braga, para as respostas socioeducativas em todo o Concelho e para as quais a Câmara Municipal irá investir um valor superior a 2,3 milhões de euros no ano letivo 2021/2022, através do pagamento de refeições escolares e actividades de animação e apoio à Família, o Executivo Municipal.

Desta forma, reforçando e inovando o modelo adotado pelo Município ao nível das atividades de enriquecimento curricular, já implementado nos anos letivos anteriores de 2018/2019, 2019/2020 e 2020/2021 e tendo em consideração a avaliação francamente positiva do mesmo, opta agora o Executivo Municipal por dar sequência a este modelo organizativo, devendo para tal estabelecer protocolos com cada um dos Agrupamentos de Escolas ou escolas não agrupadas, e diferentes entidades promotoras e parceiras para este projeto.

Destaque para o forte investimento que o Município de Braga tem vindo a assumir ao longo dos últimos anos no sector da Educação, em todo o Concelho de Braga, mas cuja componente de financiamento por parte do MEC é maior parte das vezes diminuta, senão mesmo nula

Um dos exemplos disso mesmo é o Programa Municipal de Enriquecimento Curricular, cuja comparticipação por parte do Ministério é inferior a metade do investimento a realizar.

Atribuição apoios financeiros para mais e melhor Educação

O Executivo Municipal de Braga, além dos apoios financeiros atribuídos às freguesias, vai apreciar, na reunião de Executivo desta Segunda-feira, a atribuição de apoios financeiros a entidades e ao desenvolvimento de projetos na área da Educação.

À associação Hypatiamat, a Câmara Municipal de Braga irá atribuir 10.000€ euros, apoio que se destina a apoiar um programa de combate ao insucesso escolar, na disciplina de matemática, através de recursos para o ensino da matemática para o primeiro ciclo do ensino básico.

Desenvolvendo a sua atividade através da disponibilização de recursos para professores e alunos do 2.º e 4.º anos de escolaridade para a exploração do currículo de matemática através de aplicações multimédia de conteúdos e aplicações de jogos no âmbito de medidas de suporte à aprendizagem da matemática. Verifica-se que esta parceria, com cinco anos, existente entre o Município de Braga e a Associação Hypatiamat, que a componente de cálculo mental é uma das áreas com resultados mais promissores.

Já o Agrupamento de Escolas de Maximinos irá beneficiar de um apoio de cerca de 2.700€ euros, valor este destinado ao apoio do transporte de alunos do ensino artístico de Dança.

O ensino articulado da Dança é um dos pontos fortes do Agrupamento de Escolas de Maximinos, sendo o único Agrupamento do concelho de Braga que oferece este tipo de ensino, em parceria com a Escola de Dança Ginasiano, de Vila Nova de Gaia, entidade certificada pelo MEC.

EDIFÍCIO DA PRAÇA DA REPÚBLICA CLASSIFICADO COMO MONUMENTO DE INTERESSE MUNICIPAL

Foto: “O Minho”

O Município de Braga aprovou no passado dia 14 de Junho de 2021, em reunião de executivo, a classificação do edifício n.º 1, da Praça da República, localizado na União de Freguesias de S. José de S. Lázaro e S. João do Souto, como monumento de interesse Municipal.

A importância na malha urbana bracarense deste imóvel, bem como os pormenores arqueológicos conservados ao longo do tempo que este ainda comporta, como o torreão manuelino e os vestígios do alicerce medieval, leva a que o mesmo mantenha um valor e significado histórico / social e arqueológicos importantes, pelo que se tornará agora, após todo o processo de classificação, que passou por várias entidades, um edifício classificado como monumento de interesse municipal.

 Aprovado suplemento de penosidade e insalubridade para assistentes operacionais

O Executivo Municipal de Braga aprovou também a proposta de atribuição do suplemento de penosidade e insalubridade, a profissionais na carreira geral de assistente operacional. A atribuição deste suplemento será de valor igual a 15% da remuneração base diária destes profissionais, correspondente ao nível de alto risco.

Aprovado o suplemento de penosidade e insalubridade o mesmo entra em vigor com efeitos retroativos à data de 1 de Janeiro de 2021. Este suplemento, que decorre de obrigação legal por imposição da Lei do Orçamento de Estado para 2021, será aplicado a estes trabalhadores por desempenharem funções em contexto de “recolha e tratamento de resíduos e tratamento de efluentes, higiene urbana, do saneamento, dos procedimentos de inumações, exumações, trasladações, abertura e aterro de sepulturas em condições de que resulte comprovada sobrecarga funcional que potencie o aumento da probabilidade de ocorrência de lesão ou um risco potencial agravado de degradação do estado de saúde”.

BRAGA EVOCA ARCEBISPO QUE ABRIR A CIDADE AO MUNDO

“Porta Aberta” é a designação do monumento evocativo ao Arcebispo D. Diogo de Sousa que foi inaugurado a19 de Junho último, no cruzamento entre a Rua dos Capelistas e a Rua Dr. Justino Cruz. O monumento, que resulta do concurso de ideias lançado pelo Município de Braga, homenageia a figura mais importante do urbanismo Bracarense que, com a sua visão estratégica, abriu Braga ao mundo.

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, considerou que o monumento constitui um “acto de justiça” para com esta figura da Igreja que deixou marcas profundas na Cidade.

“Braga é conhecida como a Cidade dos Arcebispos e a eles deve, ao longo da sua história, muitos dos impulsos para se tornar uma Cidade pujante na região onde se insere, a crescer em projetos inovadores na área da educação, da valorização patrimonial e do ordenamento urbanístico”, salientou o Edil, na cerimónia que contou com a presença do Arcebispo Primaz, D. Jorge Ortiga.

Ricardo Rio lembrou que o Executivo Municipal tem procurado reforçar a estatuária da Cidade com base no contributo de figuras de proa da sociedade Bracarense, como aconteceu já com Salgado Zenha, D. Frei Bartolomeu dos Mártires e com o Imperador César Augusto, fundador da Cidade.

Já para Miguel Bandeira, vereador do Urbanismo e Património, não é possível compreender a história da Cidade sem conhecer a obra mecenática do Arcebispo D. Diogo de Sousa. “Ainda hoje o fundamental dos espaços públicos do centro histórico de Braga tem a sua marca. O relevo da sua obra é tão importante no plano civil como no religioso. Há uma Braga antes e uma depois de D. Diogo de Sousa. Com D. Diogo de Sousa Braga abriu-se ao mundo, modernizou-se no domínio urbano, da economia (rede de mercados), na assistência e na saúde, no ensino lançando as bases dos Estudos Gerais de Braga e na reforma da igreja”, salientou o vereador, frisando o facto de a inauguração acontecer na data em que se assinala a morte do prelado. A peça com 7m x 2m em estrutura metálica forrada a chapa de bronze é da autoria da Sequeira Arquitetos Associados, que conquistou o primeiro prémio no concurso de ideias lançado pelo Município.

Diogo de Sousa (1461 – 1532) foi Arcebispo de Braga durante 27 anos, considerado como um dos mais importantes promotores da história da Braga e o “novo fundador” desta Cidade, pela sua atividade pastoral, cultural, humanismo cívico e pela sua veia urbanística. Uma personalidade de relevo, com interesse para a história da Igreja e para a história das ideias religiosas, sociopolíticas, pedagógicas e artísticas desta época. É considerado um humanista e uma das figuras mais notáveis e um dos mais ilustres homens da Igreja portuguesa da sua época, um nome maior da cidade de Braga.

 

Texto e fotos: CM Braga / Etc e Tal jornal

 

01jul21

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.