Menu Fechar

CELEBRADOS, NO PORTO, OS PRIMEIROS 23 CONTRATOS DA LINHA “RETOMA DESPORTO”

Lançada no passado mês de abril com o objetivo de ajudar os clubes e associações da cidade a retomarem a sua atividade desportiva e a minimizar os impactos da pandemia, a linha “Retoma Desporto” vai beneficiar 55 entidades, num montante global de 70 mil euros. Os primeiros 23 contratos já foram celebrados.

Complementar a outras medidas de apoio disponibilizadas pelo município, como a linha de Apoio de Emergência às Associações do Porto – Covid-19, Fundo Municipal de Apoio ao Associativismo Portuense, ou a isenção de taxas aos clubes e associações que utilizam os equipamentos municipais geridos pela Ágora, esta linha vai disponibilizar um total de 70 mil euros para apoiar as entidades na aquisição de material desportivo ou médico desportivo.

O valor a atribuir a cada entidade varia entre os 1.438 euros (para os clubes com uma ou duas modalidades desportivas federadas) e os 1.917 euros (para as entidades que tenham três ou mais modalidades desportivas federadas). Candidataram-se a este apoio extraordinário um total de 55 clubes e associações desportivas da cidade do Porto, sendo que 23 entidades concluíram já o processo de habilitação, tendo formalizado a assinatura dos respetivos contratos.

A cerimónia informal teve recentemente lugar no Parque da Pasteleira, contando com a presença da vereadora da Juventude e Desporto da Câmara do Porto, Catarina Araújo, do administrador executivo da empresa municipal Ágora, César Navio, assim como dos representantes legais de cada uma das 23 entidades.

“Procuramos ser o mais céleres possível neste processo, porque sabemos que este apoio financeiro é muito importante para a sobrevivência de muitos pequenos clubes, especialmente depois das dificuldades que muitos tiveram de enfrentar durante esta pandemia”, destacou Catarina Araújo.

A também presidente do Conselho de Administração da Ágora mostrou-se, de resto, sensibilizada com muitas das mensagens que recebeu durante esta cerimónia informal: “Mesmo sendo um apoio pequeno, ele foi fundamental para alguns clubes que se preparavam para fechar portas. Foi um verdadeiro ‘balão de oxigénio’, como alguém me disse hoje. Outro dirigente confessou-me que este apoio financeiro salvou mais de 40 atletas, que corriam o risco de parar a sua atividade. São testemunhos difíceis de ouvir, mas que ao mesmo tempo validam a importância e a oportunidade deste apoio”, afirmou.

 

Texto: Porto. / Etc e Tal jornal

Foto: Guilherme Costa Oliveira (Porto.)

 

01jul21

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.