Menu Fechar

“Curtas Vila do Conde” fará retrospetiva da obra de Lynne Ramsay

A retrospetiva sobre a obra da realizadora irlandesa Lynne Ramsay e os 51 filmes que integram as competições internacional e experimental do 29.ª Curtas são as novidades anunciadas hoje pelo festival vilacondense. Com novas datas já divulgadas, 16 a 25 de julho, o evento decorrerá no formato normal, com sessões em sala a decorrerem nos horários alargados anunciados para a nova fase do desconfinamento. Assim, como em 2020, o Curtas de Vila do Conde reafirma a aposta num formato híbrido que combina as projeções em sala em vários locais do país e exibições VoD, permitindo assim alargar o seu público a nível nacional e internacional.

Intenso, poético, vibrante, inquieto, assombroso: estes são alguns dos adjetivos possíveis para o cinema de Lynne Ramsay, um dos nomes mais relevantes do cinema contemporâneo, detentora de uma obra verdadeiramente singular e original. Com uma filmografia ainda pouco extensa, cada um dos filmes desta realizadora nascida em Glasgow é um portento inesquecível, repleto de momentos e imagens que ecoam no tempo e ficam na memória. Como muitos realizadores que passam pelo festival, Ramsay começou a sua carreira nas curtas-metragens, tendo cedo se distinguido: em 1996 a sua primeira curta, Small Deaths, foi galardoada no Festival de Cannes com o Prémio do Júri, o mesmo entregue, em 1998, a Gasman; e em 2000 recebeu o prémio do Júri de Clermont-Ferrand por Kill the Day, a sua terceira obra. As três obras serão incluídas no programa especial que o Curtas lhe dedica, ao lado das quatro longas que trilham caminho para um afirmação do seu cinema, no quadro do culto.

Além do inolvidável We Need to Talk About Kevin (Temos de Falar sobre Kevin) – filme que marcou uma geração e joia da coroa de Ramsay –, o festival apresentará as longas Ratcatcher, You Were Never Really Here (Nunca Estiveste Aqui) e Morvern Callar (O Romance de Morven Callar). Com uma apetência especial para contar histórias de personagens densas e por tema como a morte, o trauma e a relação com o luto, os seus filmes assinam a visão particular com que Ramsay aborda o cinema e a sua procura incessante pela não repetição e a reinvenção da sua própria linguagem.

Mantendo o corpo competitivo habitual, que reúne anualmente alguns dos nomes mais reconhecidos da curta-metragem a nível mundial e exibe simultaneamente obras de cineastas emergentes, o 29.º Curtas organizará 13 sessões, 9 da Competição Internacional e 4 da Experimental, com 51 títulos oriundos de 24 países, numa seleção que volta a cruzar o documentário, a ficção e a animação.

Em destaque, na Competição Internacional, os regressos de Ana Elena Tejera (New Voices 2020), Virpi Suutari, Georges Schwizgebel, Bárbara Wagner e Benjamin de Burca e Guy Maddin. Palavra especial também para a as estreias nacionais de David, curta realizada por Zachary Woods, conhecido pela interpretação de Gabe Lewis na comédia The Office da NBC, e protagonizada pelo comediante Will Ferrel; Night for Day, de Emily Wardill, obra que tem como eixo central um conjunto de entrevistas a Isabel do Carmo, revolucionária da resistência contra o regime fascista em Portugal; e Quattro Strade, de Alice Rohrwacher, um diário impressionista sobre a vida durante o primeiro confinamento geral em Itália.

No campo da Competição Experimental, marcam presença no Curtas 6 filmes portugueses, realizados por Sandro Aguilar, Lúcia Prancha, Pedro Maia, Margarida Albino, Kate Saragaço-Gomes e Helena Gouveia Monteiro. Regressam a Vila do Conde: Rosa Barba, Christoph Girardet, Matthias Mueller, Morgan Quaintance e Peter Tscherkassky, todos eles vencedores de prémios em edições passadas do festival.

PROGRAMA COMPETIÇÃO INTERNACIONAL

A Love Song In Spanish, Ana Elena Tejera, França/Panamá, 2021, DOC, 24′
A Questo Punto
, Pablo Cotten, Joseph Rozé, França, 2021, FIC, 26′
Aninsri Daeng (Red Aninsri; Or, Tiptoeing On The Still Trembling Berlin Wall)
, Ratchapoom Boonbunchachoke, Tailândia, 2020, FIC, 30′
Bestia
, Hugo Covarrubias, Chile, 2021, ANI, 16′
Buried News
, Bill Morrison, EUA, 2021, DOC, 12′
Comme Un Fleuve
, Sandra Desmazières, França/Canadá, 2020, ANI, 15′
Condition D’élévation
, Isabelle Prim, França, 2020, FIC/DOC, 20′
Dans Le Silence D’une Mer Abyssale
, Juliette Klinke, Bélgica, 2021, DOC, 19′
Das Massaker Von Anröchte (The Massacre Of Anroechte)
, Hannah Dörr, Alemanha, 2021, FIC, 60′
Das Spiel (The Game)
, Roman Hodel, Suíça, 2020, DOC, 17′
David
, Zachary Woods, EUA, 2020, FIC, 11′
Delenda Carthago
, Guillaume Orignac, França, 2021, FIC, 39′
Farrucas
, Ian de la Rosa, Espanha/EUA, 2021, FIC, 17′
I Gotta Look Good For The Apocalypse
, Ayce Kartal, Turquia/França, 2021, DOC/ANI, 6′
Kansanradio – Runonlaulajien Maa (A People’s Radio – Ballads From A Wooded Country)
, Virpi Suutari, Finlândia, 2021, DOC, 27′
L’enfant Salamandre
, Théo Dégen, Bélgica, 2020, FIC, 26′
Le Journal De Darwin
, Georges Schwizgebel, Suíça, 2020, ANI, 9′
Le Roi David
, Lila Pinell, França, 2021, FIC, 41′
Los Ladrillos
, Tito Montero, Espanha, 2020, DOC, 19′
Motorway 65
, Evi Kalogiropoulou, Grécia, 2020, FIC, 15′
Night For Day
, Emily Wardill, Portugal/Áustria, 2020, FIC/DOC, 47′
Noir-Soleil
, Marie Larrivé, França, 2021, ANI, 20′
On N’est Pas Animaux
, Noé Debré, França, 2021, FIC, 16′
One Hundred Steps
, Barbara Wagner, Benjamin de Burca, Alemanha, 2021, DOC, 31′
Quattro Strade
, Alice Rohrwacher, Itália, 2021, DOC, 8′
Ronde De Nuit
, Julien Regnard, França/Bélgica, 2021, ANI, 12′
The Rabbit Hunters
, Guy Maddin, Evan Johnson, Galen Johnson, Canadá, 2020, FIC, 9′
Vo
, Nicolas Gourault, França, 2021, DOC, 20′
We Have One Heart
, Katarzyna Warzecha, Polónia, 2020, DOC/ANI, 11′
Xia Wu Guo Qu Le Yi Ban (Day Is Done)
, Zhang Dalei, China, 2020, FIC, 24′
Zonder Meer
, Meltse Van Coillie, Bélgica, 2020, FIC, 14”’

PROGRAMA COMPETIÇÃO EXPERIMENTAL

BaBaki Tadu É, Kate Saragaço-Gomes, Calum MacBeath Morgan, Índia/Dinamarca/Portugal, 2021, DOC, 13′
Berlin Feuer
, Pedro Maia, Portugal/Alemanha, 2021, EXP, 6′
Black Beauty
, Grace Ndiritu, Reino Unido/Bélgica/Espanha, 2021, FIC, 30′
Citadel
, John Smith, Reino Unido, 2020, EXP, 16′
Depth Wish
, Margarida Albino, Portugal, 2021, EXP, 12′
Dissolution Prologue (Extended Version)
, Siegfried Fruhauf, Áustria, 2020, EXP, 6′
Earthearthearth
, Daïchi Saïto, Canadá, 2021, EXP, 30′
Emtza’i Meuchar (Belated Measures)
, Nir Evron, Israel, 2020, DOC, 35′
Flowers Blooming In Our Throats
, Eva Giolo, Bélgica/Itália, 2020, EXP, 9′
Glimpses From A Visit To Orkney In Summer 1995
, Ute Aurand, Reino Unido/Alemanha, 2020, EXP, 5′
Inside The Outset, Evoking A Space Of Passage
, Rosa Barba, Chipre/Alemanha/Itália, 2021, DOC, 31′
Misty Picture
, Christoph Girardet, Matthias Müller, Alemanha, 2021, EXP, 17′
Of This Beguiling Membrane
, Charlotte Pryce, EUA, 2020, EXP, 5′
Purkyn
?‘s Dusk, Helena Gouveia Monteiro, Irlanda/França, 2021, EXP, 9′
Sunrise
, Lúcia Prancha, Portugal, 2021, EXP, 18′
Surviving You, Always
, Morgan Quaintance, Reino Unido, 2020, DOC, 18′
The Detection Of Faint Companions
, Sandro Aguilar, Portugal, 2021, EXP, 9′
Train Again,
 Peter Tscherkassky, Áustria, 2021, EXP, 20′
When Light Is Displaced
, Zaina Bseiso, Palestina/EUA, 2021, DOC, 7′
Who Is Afraid Of Ideology ? Part III Micro Resistencias
, Marwa Arsanios, Alemanha, 2020, DOC, 31′

NOVOS FILMES DE HELVÉCIO MARINS JR. E SÉRGIO BORGES, QUENTIN DUPIEUX, MAUREEN FAZENDEIRO E MIGUEL GOMES EM ANTESTREIA NO “CURTAS 2021”

Será a primeira passagem em Portugal para um dos mais aguardados novos filmes portugueses. Diários de Otsoga, de Maureen Fazendeiro e Miguel Gomes, rodado em agosto passado numa propriedade em Sintra já em contexto de pandemia e com estreia mundial apontada para a Quinzena dos Realizadores de Cannes, passará por Vila do Conde em julho.

Um regresso do realizador de O Meu Querido Mês de Agosto (2008) e Mil e Uma Noites (20015), na secção da Da Curta à Longa, que integrará ainda a estreia em solo português do novo filme do brasileiro Helvécio Marins Jr.. Lutar Lutar Lutar, corealizado com Sérgio Borges, narra a história do Clube Atlético Mineiro, desde a sua fundação até ao título ganho em 2014, acompanhando uma das mais efervescentes e fiéis torcidas do futebol canarinho.

Regresso também ao Curtas para um dos mais singulares cineastas franceses da atualidade, Quentin Dupieux (também conhecido pelo seu alias musical Mr. Oizo), realizador em foco no festival no ano de 2015. Traz a Vila do Conde, em antestreia nacional, Mandibules, a longa-metragem onde volta a testar os limites do humor e do absurdo. O filme terá estreia comercial no nosso país em setembro próximo.

A ter lugar entre os dias 16 e 25 de julho, o Curtas Vila do Conde volta a apostar forte nos espaços de cruzamento entre a sétima arte e a música. Alinhadas para secção Stereo deste ano estão as atuações da harpista espanhola Angélica Salvi, que musicará o filme Shoes de Louis Weber, e o coletivo liderado por Yaw Tembe, Chão Maior, que sobre ao palco do Teatro Municipal de Vila do Conde numa das raras apresentações ao vivo do seu mais recente trabalho e, em colaboração, com o realizador Igor Dimitri.

A programação do Stereo completa-se com mais uma aguardada edição da Competição de Vídeos Musicais que, este ano integra: Lote B de António Zambujo, realizado por Pedro Serrazina; Theme Vision de Bruno Pernadas, realizado pelo próprio e Jep Jorba; Running in The Dark de Moullinex ft. GPU Panic, realizado por Bruno Ferreira; Magic de Ghetthoven, realizado por Vasco Mendes; Inatel de David & Miguel realizado por Francisco Lobo; Incompatibilidades de PZ, realizador por Alexandre Azinheira; Escravo do Patrão de Luta Livre, realizador por Cristina Viana; cinco de Pedro Augusto, realizado por Rafael Gonçalves; Yipman de Stereoboy, realizado por Luís Sobreiro; Disuelta de Lucrecia Dalt, realizado por Pedro Maia; Passo 2 de Chão Maior, realizado por Igor Dimitri; Stay In Bed dos FUGLY, realizado por Hugo Amaral; FP25 dos Sereias, realizado por Francisco Laranjeira; e Fogo Fera, de Vaiapraia, realizado por Eloísa Micaelo.

O Curtas 2021 decorrerá em Vila do Conde, estendendo-se simultaneamente a Lisboa e Porto e contemplando uma programação também no online. O programa final do festival será revelado no início de julho, assim como os detalhes sobre a compra de bilhetes.

O 29.º Curtas Vila do Conde tem o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde, do Ministério da Cultura, do Instituto do Cinema e Audiovisual e de vários parceiros imprescindíveis à realização do festival.

 

Texto e fotos: Curtas Vila do Conde / Etc e Tal jornal

 

01jul21

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.