Menu Fechar

Festival Internacional de Marionetas de Ovar (FIMO) voltou a dar alegria às ruas da cidade e ao seu público fiel

Com um programa e um formato mais reduzido por força das circunstâncias da pandemia, que em 2020 obrigou ao cancelamento deste festival de rua, este ano, a organização da União de Freguesias de Ovar, São João, Arada e São Vicente de Pereira, que tem como diretor artístico, Nuno Pinto, o FIMO voltou a dar alegria às ruas da cidade de Ovar com um público fiel, que durante os dias 11, 12 e 13 de junho, foram deambulando segundo o interesse despertado por cada uma das propostas de espetáculos em diferentes espaços públicos e a Escola de Artes e Ofícios.

Um percurso deste certame cultural que regressou em 2014 e voltou este ano, com o mesmo espirito de voluntariado que anima e é a alma do FIMO, ainda que sujeito a espaços com lotação limitada e o devido distanciamento, conforme normas de segurança vigentes.

 

José Lopes

(texto e fotos)

 

Como concluiu a organização do FIMO, no final da edição de 2021, em forma de agradecimento a todos os participantes, ao público, “pela sua generosidade e compreensão”. Aos voluntários, que “são a alma deste festival que conseguiu já uma identidade muito própria”. É ainda afirmado, que, “o trajeto já vai longo e a evolução é visível”, ou seja, resultou mais uma vez num festival bonito e com alma.

O FIMO continua assim, como se propôs no seu regresso em 2014, após a eleição da atual gestão autárquica da União de Freguesias de Ovar (UFO), a reafirmar-se como uma referência no panorama dos festivais de marionetas em Portugal e a nível internacional. Referencias bem espelhadas na significativa presença internacional que foi proporcionada pelo programa do FIMO, através de reconhecidas companhias mundiais, que dividiram os vários palcos com companhias portuguesas, destacando-se a participação da Companhia de Teatro Agua Corrente de Ovar – CONTACTO.

Nestes tempos conturbados, ainda de restrições, que exigiram a adaptação do FIMO às medidas e normas das autoridades de Saúde, mas também às condições meteorológicas, a organização assumiu, que, “numa versão mais reduzida e no estrito cumprimento das regras sanitárias, cá estamos nós para voltar a animar”. Um compromisso que resultou plenamente e garante a consolidação desta caminhada na animação de rua, através de um roteiro de espetáculos que dinamizaram a Praça da Republica, o Chafariz do Neptuno, o Largo do Tribunal, o Jardim Cáster, o Parque Urbano, a Escola de Artes e Ofícios e o Centro de Artes de Ovar. Espaços que acolheram público em ambiente familiar, com as crianças como público-alvo e fiel do FIMO.

A cidade de Ovar, animada pela itinerância da Companhia Marimbondo (Portugal) / Banda Rumtátá, intercalou durante os três dias do programa, diferentes espetáculos nas artes das marionetas em português e línguas de vários países que esta arte de representar tão bem traduz, sempre com muita alegria e interatividade com o público.

O programa incluiu os seguintes espetáculos:

Théãtre Jaleo (França) – “Eden”

Ola Muchin (Polónia) – “Kukuriku”

El Espejo Negro (Espanha) – “Espejismo”

Andrea Diaz Reboredo (Espanha) – “M.A.R.”

Companhia Antártica (Espanha) – “Bag Lady”

Mau Teatro (Chile) – “Jimy Miles”

Contacto (Portugal) – “João Pateta”

Valdevinos Teatro de Marionetas (Portugal) – “Rosa e os 3 namorados” e “Tourada à Portuguesa”

Jogos do Hélder (Portugal)

Telba Carantoña Teatro (Venezuela) – “Madame Cledá”

Pepe´s Show (Chile) – “Libera2”

Valdevinos Teatro de Marionetas (Portugal) – “Castelo dos fantasmas” e “O pescador”

Companhia Marimbondo (Portugal) – Banda Rumtátá

Trulé (Portugal) – “As minhas mais … marionetas”

Le Poisson Soluble (França) – “Prise de terre”

Valdevinos Teatro de Marionetas (Portugal) – “O moleiro e o burro” e “O barbeiro diabólico”

Contacto (Portugal) – “A bela princesa do norte”

 

 

01jul21

 

 

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.