Menu Fechar

Museu de Ovar: “Magonchas” uma exposição inspirada no Oceano

A beleza e mistério do Oceano apresentada numa forma funcional e escultural, através de uma linguagem visual assumida por diferentes formas e cores, refletindo grãos de areia, pedras e conchas, como fragmentos do imenso mar movidos pelas correntes marítimas e espuma das ondas. São o mote da expressão “Magonchas” que dá nome à exposição inspirada no Oceano, que está no Museu de Ovar até 11 de setembro.

Lembrando as conchas das praias do mar ali tão perto, que não se resiste a observar ou a guardar carapaças que foram protetoras de um ser que lá viveu e se desenvolveu. As obras expostas em diferentes dimensões e cores da série “Magonchas”, surgem, nesta arte de Rita Gonçalves, “como abrigos que proporcionam um retiro solitário e introspetivo de quem tece o seu próprio destino, são narrativas de vida”.

Inaugurada no dia 29 de maio, a exposição “Magonchas” dá a conhecer peças de arte que de imediato prendem a atenção dos visitantes, que durante estes próximos meses podem ver e rever o trabalho da artista Rita Gonçalves, com formação em cerâmica e que viu a sua obra, coleção de azulejos contemporâneos “Calçada Portuguesa”, selecionada em 2009 pelo Museum of Modem Art (MOMA), para integrar o projeto “Destination Portugal 2010” para as lojas de Nova York e Japão. Ou as mais recentes presenças nas Bienais de Arte de Gaia, Espinho e Aveiro.

Perante a temática “Magonchas” inspirada no Oceano e no seu “ecossistema produtivo”, as obras ali expostas que fazem imaginar a beleza natural de corais, fazem despertar preocupações ecológicas e ambientalistas sobre as consequências da poluição dos rios e dos mares, como lembraria nas suas breves palavras José Fragateiro, presidente da Assembleia da União de Freguesias de Ovar, São João, Arada e São Vicente de Pereira, realçando “um tema tão sensível”, nesta “exposição de qualidade”, como começou por afirmar.

A qualidade da exposição “Magonchas”, foi igualmente destacada pelo presidente da Junta de Freguesia de Válega, Jaime Almeida, que deixou elogios ao trabalho que vem sendo feito pelo Museu de Ovar, que tem atualmente como diretor António Dias, representando para este autarca, um “orgulho ter um cidadão da minha freguesia à frente desta instituição”.

“Grande satisfação”, começou por manifestar nas palavras iniciais a vereadora da educação da Câmara Municipal de Ovar, Ana Cunha, pela “dinâmica e resistência do Museu de Ovar”, que ali se fazia representar não só pelo diretor António Dias, mas ainda por Manuel Brandão e Esmeralda Souto, que insistiu, “tudo seria impossível se não fosse a dedicação da funcionária Leonor”, acrescentando, “é um prazer continuar ligada ao Museu de Ovar”.

 

Texto e fotos: José Lopes

 

01jul21

 

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.