Menu Fechar

Nas movimentadas ruas do Padre António Vieira e do Bonfim há muito que os buracos se transformaram em “crateras”! Ninguém fala em obras e há milhares de pessoas que começam a perder a paciência!

Repórter X

 

Voltamos à carga! É a enésima vez que abordamos este assunto e sempre o faremos enquanto o mesmo não for resolvido. Trata-se do lastimável estado em que se encontram, no Porto, os pavimentos das super-movimentadas ruas do Padre António Vieira e do Bonfim, esta última, principalmente, no troço que liga o Campo 24 de Agosto à Igreja.

Rua do Bonfim. Corredor BUS

Para quem nestas ruas passa, e principalmente de transporte público até porque são muitas as carreiras que as percorrem, sabe bem do que estamos a falar.

Por lá, já não existem buracos, como o já referimos há cerca de um, dois e três anos, mas verdadeiras crateras que não só dão cabo das suspensões dos carros ligeiros, coletivos, camiões, etc. e tal, mas também da paciência de quem os conduz ou neles é transportado.

BEM-VINDOS À “CRATERALÂNDIA”!

Rua do Padre António Vieira

Se o problema com a Rua do Padre António Vieira, que divide as freguesias do Bonfim e de Campanhã, diz-se, há anos, que está para ser resolvido, e que ganhou mais força essa ideia, com a recente construção de um hotel, a verdade é que isso em nada aquece nem arrefece a realidade, já que o mesmo se disse, há sensivelmente, seis anos, aquando da inauguração do Centro de Dia Senhor do Bonfim, e até hoje… nada!

Rua do Bonfim, junto à sede da Associação de Cegos e Amblíopes de Portugal. A passadeira para peões, nota-se ao longe! Não fossem os semáforos, e…

E “nada” é também tudo quanto se sabe relativamente a obras a realizar na Rua do Bonfim, que, na última década, perdeu um número significativo de moradores e estabelecimentos comerciais, tornando-se, praticamente, numa via exclusiva a viaturas. Se a este panorama juntarmos as “crateras” no meio da via e junto aos passeios, é caso para se dizer: bem-vindo à “Crateralândia!”

Ainda… a Rua do Padre António Vieira
“Desníveis” na rua do (senhor) padre

Tudo o que, para já, se sabe, é que nem projeto há para a realização de obras nas duas ruas. E, se as que potencialmente se realizarão na de Padre António Vieira estão, indiretamente, relacionadas com o Terminal Intermodal de Campanhã (TIC), mas, a verdade é que o TIC está quase pronto e a rua mais esburacada que nunca, e, por este andar, mais esburacada ficará até ao dia em que dela se lembrarem, esperando que não seja por causa de algum acidente. A haver haverá também responsáveis indiretos pelo mesmo, os tais que estão a deixar a rua chegar ao ponto – já crítico – em que se encontra.

MILHARES DE PESSOAS PASSAM DIARIAMENTE (TRANSPORTE PÚBLICO OU PARTICULAR) POR ESSAS ARTÉRIAS

Foto “Autocarros do Porto” – Facebook

 Para o(a) leitor(a) ter uma ideia da importância destas ruas – a do Bonfim de saída da cidade rumo à VCI, Circunvalação, Gondomar e Valongo; e a do Padre António Vieira de entrada na cidade em direção ao centro -, saiba que por dia, de segunda a sexta-feira, passam, em média, de meia em meia hora, dezenas de autocarros ou camionetas, só para falarmos em transporte coletivo.

Autocarro a entrar na Rua do Padre António Vieira, oriundo da Esatção de Campanhã

Na Rua do Padre António Vieira, por lá circulam autocarros da STCP das linhas 207, 205, 400 e 403; e da Gondomarense: 01, 04, 05, 06, 07,08, 14, 18, 19,22 e 23.

Pela Rua do Bonfim, no sentido ascendente e descendente (corredor BUS), as linhas da STCP: 206, 301 (só ascendente), 800, 801 e 700. Da Valpi: V94, e da Gondomarense: 09, 15, 27, 32,55,69 e 70.

Rua do Bonfim, com o Campo 24 de Agosto (piso muito bem tratado) ao fundo

Ora, só com a passagem destas carreiras, que seja de meia em meia hora, e isto ao longo de mais de duas décadas sem qualquer intervenção na questão de melhoramentos do piso, é fácil imaginar o estado em que estas ruas se encontram.

Curioso torna-se ainda referir que, em 2014, as ruas do Heroísmo e do Freixo foram alvo de profundas obras de requalificação, com a colocação de um “tapete de luxo”, só que as vizinhas do Padre António Vieira e de Pinto Bessa (também em lindo estado!) ficaram, como se diz, a “ ver navios”.

A do Bonfim, por seu turno, viu, ainda recentemente, a vizinha Avenida de Fernão de Magalhães a ser alvo de uma profunda intervenção (que continua, mas já perto do final), enquanto nela… a crescer o número de buracos, de dia para dia.

Fica, assim, mais uma vez o alerta ao qual se junta, por certo, o dos presidentes das juntas de freguesia do Bonfim e de Campanhã – José Manuel Carvalho e Ernesto Santos, respetivamente -, que não têm competências para efetuar o que quer que seja nas referidas ruas, às quais se juntam, e em idêntico estado e algumas quase que com o mesmo movimento de viaturas, por exemplo, as de Pinto Bessa, Santos Pousada, Ferreira Cardoso (todas no Bonfim), ou São Roque da Lameira, Falcão, Senhora da Hora e das Escolas (em Campanhã). E estes são só alguns exemplos que queremos deixar registados. Só alguns! Há mais…

 

01jul21

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.