Menu Fechar

Obras estratégicas, apoio a empresas e à formação já trouxeram para o Porto 1,4 mil milhões de euros do “Portugal 2020”

No que respeita a fundos europeus, o Município do Porto figura no topo da atratividade. Desde o arranque do quadro comunitário, em 2014, chegaram à cidade 1,4 mil milhões de euros do “Portugal 2020” com destino a obras estratégicas, mas também ao apoio a empresas ou à formação. Os dados foram disponibilizados pelo portal Mais Transparência.

A capacidade do Porto em aceder a fundos da União Europeia está muito relacionada com projetos estratégicos como a expansão do metro ou as obras emblemáticos que estão em curso na reabilitação do Mercado do Bolhão e na edificação do novo Terminal Intermodal de Campanhã.

No entanto, muito do valor atribuído até março de 2020 – que corresponde a 6% do total nacional de 24,5 mil milhões de euros – tem tido como destino o apoio às empresas, à investigação, à formação e à contratação. Feitas as contas por habitante, os 1,4 mil milhões de euros representam uma distribuição de cerca de 6.500 euros por portuense, acima da média nacional, que fica abaixo dos 2.400 euros.

O bolo destinado ao Porto é repartido entre 4.284 beneficiários que viram 7.131 projetos apoiados. Também aqui figuram projetos como o Alchemy, que une a Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa à Amyris Bio Products Portugal, o processo de descarbonização da frota da STCP, ou a instalação do Centro Tecnológico do banco francês Natixis, no Porto.

Em comparação com a região Norte, o Porto capta 14% dos fundos aprovados e a percentagem sobe para os 34% quando analisada a Área Metropolitana do Porto, que já viu aprovados 4,2 mil milhões de euros.

Os fundos do “Portugal 2020” procuram apoiar as empresas e a competitividade e internacionalização da economia nacional, a sustentabilidade e eficiência no uso de recursos, o capital humano, a inclusão social e o emprego. O investimento é distribuído pelos vários concelhos de acordo com as prioridades estratégicas de cada fundo.

O total captado por cada município corresponde à soma das verbas aprovadas do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), do Fundo Social Europeu (FSE), do Fundo de Coesão e do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas (FEAMP).

 

Texto: Porto. / Etc e Tal jornal.

Foto: Miguel Nogueira (Porto.)

 

01jul21

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.