Menu Fechar

Autarcas mundiais assinam “Declaração do Porto” sobre o Turismo e o Futuro das Cidades

No final dos trabalhos do UNWTO Mayors Forum for Sustainable Urban Tourism, que teve lugar dia 09 de julho último, na Alfândega, autarcas, organizações e profissionais do setor do turismo de todo o mundo firmaram a Declaração do Porto sobre o Turismo e o Futuro das Cidades.

Entre os objetivos do documento está o trabalho e a dedicação em fomentar a inclusão de um turismo sustentável na agenda das cidades enquanto potenciador de emprego e criação de riqueza, inclusão social e preservação cultural.

Os responsáveis presentes no Porto comprometem-se em assegurar que as políticas urbanas de turismo estão alinhadas com a Nova Agenda Urbana e a Agenda 2030, mais precisamente quanto ao objetivo de tornar as cidades mais inclusivas, seguras, resilientes e sustentáveis, ideia que o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, já havia sublinhado na sessão de abertura do fórum da Organização Mundial de Turismo.

Com esta Declaração do Porto, os autarcas pretendem estabelecer modelos de governação que assegurem uma integração e alinhamento plenos do turismo com a política urbana para um desenvolvimento sustentável inclusivo, comprometido com o princípio de não deixar ninguém e nenhum lugar para trás ao mesmo tempo que previne o crescimento de desigualdades espaciais.

O documento pressupõe, entre outros pontos, o fomento da colaboração e das parcerias estratégicas entre o setor público e privado, assim como com os atores locais. Os presidentes de câmara não quiseram sair do Porto sem o compromisso de construir pontes entre as cidades e as áreas mais rurais, fomentar um uso mais eficiente dos recursos e uma redução das emissões. A sustentabilidade deverá passar, também, pelo investimento num transporte sustentável que melhore a mobilidade, a conectividade e a igualdade social.

A questão ambiental também foi considerada na Declaração do Porto, no que refere ao esforço para acelerar a dupla transformação das cidades: mais verdes e mais digitais, tornando-se mais resilientes para enfrentar futuras crises. A cidade inteligente do futuro, afirmam, deve assentar na governação, inovação, tecnologia, acessibilidade e sustentabilidade. Com todos estes objetivos em mente, e em colaboração com a Organização Mundial de Turismo, os signatários propõem a criação de uma Liga das Cidades para o Turismo Urbano Sustentável.

A fechar esta segunda edição do UNWTO Mayors Forum for Sustainable Urban Tourism, a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, mostrou-se satisfeita pela vontade das cidades presentes em “liderar pelo exemplo”, lembrando que elas são “responsáveis por grande parte do PIB”.

A Declaração do Porto sobre o Turismo e o Futuro das Cidades tem a assinatura dos representantes do Porto, Atenas, Braga, Bruxelas, Bruges, Budapeste, Dubrovnik, Florença, Ouagadougou, Podgorica, Praga, Roma, Samarkand, São Vicente, Skiathos, Tirana e Veneza, ao lado da do ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital português, Pedro Siza Vieira, da UN-Habitat, do Comité das Regiões Europeu, da Unión Ciudades Capitales Iberoamericanas e ainda dos privados Expedia, CLIA Europe, Must Travel & Tech e Airbnb.

 

Texto e fotos: Porto. / Etc e Tal jornal

 

01ago21

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.