Menu Fechar

Braga foi o Município que mais cresceu na Região Norte, registando mais de 193 mil residentes

O Instituto Nacional de Estatística divulgou no passado dia 28 de Julho, os resultados preliminares do XVI Recenseamento Geral da População e VI Recenseamento Geral da Habitação – Censos 2021, e Braga foi o Município que mais cresceu na Região Norte.

No que diz respeito à variação da população residente nos 10 municípios mais populosos do país, os dados mostram que Braga foi também o Município que registou o maior crescimento no número de habitantes, perfazendo agora um total de 193.333 mil cidadãos residentes.

Estes números equivalem a um crescimento de 11 839 (+6,5%) habitantes face aos dados obtidos nos últimos Censos, que datam de 2011. Também no número de habitações existentes no Concelho se registou um aumento, passando de 84,648 mil em 2011 para 89,343 mil habitações.

Dentro da estatística dos municípios mais populosos do país, Sintra, Cascais, Almada, Loures e Vila Nova de Gaia são os restantes municípios que apresentam ganhos em termos de habitantes. A nível nacional, os Resultados Preliminares dos Censos 2021 revelam que a população residente em Portugal é 10 347 892, um decréscimo de 2,0% face a 2011. Portugal registou ainda um ligeiro crescimento do número de edifícios e de alojamentos destinados à habitação, embora num ritmo bastante inferior ao verificado em décadas anteriores.

 MUNICÍPIO AVANÇA COM CRIAÇÃO DO “PROVEDOR DO ANIMAL”

O Município de Braga irá avançar com a criação da figura do Provedor Municipal dos Animais de Braga. A implementação desta figura é mais uma medida com vista à defesa do bem-estar animal e surge na sequência da recente evolução do quadro legislativo no que diz respeito à defesa dos direitos dos animais. Pretende-se assim atender ao volume crescente de pedidos recebidos no Município sobre este tema, harmonizando as novas exigências da sociedade na relação com os animais e agilizando a relação dos cidadãos com os serviços municipais.

A criação do provedor permitirá uma maior ligação entre a autarquia, os munícipes e as associações, beneficiando a proteção do bem-estar animal. O Provedor do Animal será uma figura não executiva, mediadora, independente e defensora da causa pública, a quem cabe receber os munícipes, esclarecer a população das políticas animais existentes e das responsabilidades de quem cuida e procurar fazer cumprir a legislação existente nesta matéria. Será designado pela Assembleia Municipal sob proposta da Câmara Municipal de Braga, exercendo funções por um período de quatro anos.

Concurso de fotografia ´Braga Natural´

Na mesma reunião do executivo foi ainda analisada a proposta de lançamento do Concurso de Fotografia ´Braga Natural´, iniciativa que pretende sensibilizar os cidadãos para a necessidade de proteção da natureza e da biodiversidade do território, designadamente os ecossistemas, os habitats e as espécies de fauna e flora selvagens. O concurso irá decorrer entre 1 de Setembro e 30 de Outubro.

 ABERTO CONCURSO PÚBLICO PARA A REABILITAÇÃO DO CENTRO CULTURAL DR. FRANCISCO SANCHES

A Câmara Municipal de Braga vai abrir o concurso público para a reabilitação da antiga escola Francisco Sanches, onde será criado um centro cívico de matriz cultural. A abertura de procedimento concursal é submetida à próxima Reunião do Executivo Municipal, agendada para Segunda-feira, 26 de Julho.

Com um preço-base de 1,7 Milhões de euros, o projeto vai transformar a antiga escola Francisco Sanches num equipamento de referência, alinhado com a estratégia cultural da Cidade para 2030 e com a candidatura de Braga a Capital Europeia da Cultural em 2027.

O projeto propõe a reabilitação geral de todo o edifício, dotando as suas divisões com conforto e renovação necessárias para albergar as funções culturais no âmbito das atividades das artes visuais e performativas.

O objetivo passa por maximizar o enorme potencial do edifício, que conta com uma área global de 6.415m2, e aproveitar a sua centralidade. Recorde-se que o edifício da antiga escola Francisco Sanches fica situado no coração da Freguesia de S. Victor, estabelecendo a ligação entre o Centro Histórico e a Universidade do Minho. Após a reabilitação, o edifício irá receber o Arquivo Municipal, incluindo o arquivo histórico, serão criadas salas de consulta e uma biblioteca, uma zona de tratamento e higienização de documentos.

A ideia é que o público se aproprie progressivamente da utilização do edifício, colocando à disposição as zonas que forem ficando disponíveis. A Autarquia vai também garantir a continuidade da utilização de algumas das estruturas que já se encontram sediadas no edifício e incorporar novas dinâmicas que possam resultar o debate em torno da estratégia cultural 2030.

Autarquia adjudica requalificação da Escola de Figueiredo

Foi ainda adjudicada a empreitada de requalificação da Escola Básica de Figueiredo, à empresa ARLO, S.A., pelo valor-base de 1,7 Milhões de euros.

A intervenção prevê a remodelação do edifício existente, bem como a sua ampliação com vista a albergar também o Jardim de Infância da Freguesia, formando um Centro Escolar. A obra vai conferir melhores e maiores condições de segurança, funcionalidade, conforto térmico e acústico e de luminosidade.

A Escola Básica terá quatro salas de aula com capacidade para 24 alunos/sala, perfazendo um total de 96 alunos, prevendo-se ainda um espaço reservado às artes plásticas. O Jardim de Infância funcionará no rés-do-chão e contará com duas salas de aula com capacidade para 24 alunos/sala, perfazendo um total de 48 alunos.

No geral, entre outros espaços a criar, destacam-se: instalações sanitárias; biblioteca; refeitório polivalente; recreio coberto; gabinete de atendimento; sala de professores/educadores; sala de estudo individualizado; sala de isolamento; área técnica de pessoal; área de arrumos; cozinha equipada.

CÂMARA MUNICIPAL E “RC6” RENOVAM PROTOCOLO DE VIGILÂNCIA FLORESTAL

O Município de Braga renovou o protocolo de colaboração estabelecido com o Regimento de Cavalaria n.º 6 (RC6) que permite, desde 2015, o patrulhamento e vigilância de parte dos espaços florestais do Concelho durante o período crítico de risco de incêndios.

Esta medida vem complementar as ações de vigilância florestal desenvolvidas pelas diferentes forças de segurança já no terreno. O reforço da vigilância demonstra a preocupação acrescida por parte do Município em preservar o seu património florestal.

O RC6 fará uma vigilância durante sete dias por semana, incluindo fins-de-semana e feriados, numa vasta área florestal que compreende as freguesias de Pedralva, Sobreposta, União de Freguesias de Este, Bom Jesus do Monte, Sameiro, Falperra, Santa Marta das Cortiças e Morreira.

Este é um dos espaços florestais do Concelho de Braga que maior importância apresenta em termos florestais, paisagísticos, culturais, religiosos, turísticos e sobretudo ambientais, e cuja proteção e preservação são consideradas uma imperativa prioridade em termos de defesa da floresta contra incêndios.

Esta colaboração com o RC6 representa uma mais-valia na preservação da riqueza florestal do Concelho. O protocolo incluiu o patrulhamento diário por parte dos militares do RC6 por um período de duas a quatro horas, facto que permite alargar o período de vigilância, além de se constituir como um meio dissuasor. Ao Município cabe suportar os encargos financeiros associados a estas operações.

ESPAÇO MULTIUSOS NO SOPÉ DO PICOTO VOLTA A ACOLHER A FEIRA SEMANAL

 O renovado espaço do sopé do Monte Picoto, junto à Alameda do Estádio 1º de Maio, voltou a acolher os comerciantes da feira semanal de Braga. Este espaço multiusos da Cidade conta agora com estacionamento automóvel de apoio ao Fórum Braga, ao espaço da Feira semanal, ao espaço para as Festas de S. João e também à realização de eventos de caráter cultural e de lazer.

A obra de requalificação do espaço, com investimento municipal de cerca de 420 mil euros, conta agora com uma plataforma pavimentada, com acesso automóvel pela estrada nacional 101, frente ao acesso ao Estádio 1.º de Maio, duas saídas de emergência para viaturas ligeiras e de mercadorias, destinando-se uma delas também a zona de cargas e descargas quando da realização de eventos.

Com capacidade para cerca de 255 ligeiros e 111 feirantes instalados numa área de aproximadamente 9000m2 de intervenção, este parque servirá também nos restantes dias para estacionamento dos demais utentes e de todos os que procuram a cidade, aliviando as zonas centrais de trânsito automóvel.

Este espaço, que conta com sanitários públicos de apoio à feira e aos demais eventos que ali se realizem, servirá como um espaço multiusos onde poderão ser instalados   palcos e estruturas de iluminação e som de maneira a aproveitar o anfiteatro natural que constituí todo o parque.

JUNTA DA GALIZA E EIXO ATLÂNTICO COLABORAM NA VALORIZAÇÃO DO LEGADO CULTURAL COMUM DA “GALÉCIA ROMANA”

A Junta da Galiza e o Eixo Atlântico vão apostar na promoção do legado cultural da Galécia Romana, património partilhado pela Galiza e por Portugal que será objeto de valorização através da entidade que agrupa aos municípios da Comunidade Galega e do Norte de Portugal.

A decisão surgiu durante uma reunião de trabalho realizada na Cidade da Cultura em Santiago de Compostela, com representantes de várias instituições, e na qual participou Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga e do Eixo Atlântico, assim como Miguel Bandeira, vereador do Património do Município bracarense.

O encontro foi um primeiro contacto a partir do qual se procurou fórmulas de cooperação e linhas de atuação para reforçar o conhecimento e a divulgação deste passado comum que é considerado de interesse para todos os atores envolvidos.

Entre outros aspetos, foi abordada a importância da Via Nova como itinerário cultural, algo que conta com o empenho das diferentes partes. Esta é uma rota histórica que no tempo dos romanos uniu as cidades de Braga e Astorga ao longo de mais de 300 km.

Este encontro contou ainda com a presença do conselheiro da Cultura, Educação e Universidade, Román Rodríguez, do presidente da Deputação de Ourense, Manuel Baltar, do vice-presidente do Eixo Atlântico e presidente da Câmara de Lugo, Lara Méndez, o secretário-geral do Eixo, Xoán Mao, assim como o reitor de O Barco de Valdeorras, Alfredo García.

O reforço dos laços de cooperação no domínio cultural no âmbito do Eixo Atlântico, foi uma constante durante esta iniciativa, com a intenção de acrescentar valor a este legado patrimonial. Deste modo, é dada continuidade ao trabalho realizado nos últimos anos para intensificar a coesão económica, social e cultural dos dois lados da fronteira.

 

Texto e fotos: CMBraga – comunicação / Etc e Tal jornal

 

01ago21

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.