Menu Fechar

Estreia tecnologia bancária “contactless” para pagar viagens no Metro do Porto e na STCP

 Desde 22 de Julho último, o Andante (sistema de bilhética intermodal da Área Metropolitana do Porto, gerido pelo TIP – Transportes Intermodais do Porto, ACE), em colaboração com a VISA, a REDUNIQ, a Card4B, a Cybersource e a Littlepay, disponibiliza pagamentos contactless nos transportes públicos do Porto, num projeto piloto, que integra a Linha Violeta (E) do Metro do Porto (que serve o Aeroporto Internacional do Porto) e os autocarros da linha 500 da STCP.

Turistas, residentes ou qualquer pessoa que queira utilizar os transportes públicos do Porto, já não vai precisar de carregar os seus cartões Andante de cada vez que embarcar na Linha Violeta (E) do Metro ou nos autocarros da linha 500 da STCP.

Os clientes vão poder pagar a sua viagem tocando simplesmente com o seu cartão de débito, crédito, cartão pré-pago ou dispositivo de pagamento contactless nos validadores com o símbolo. Isto significa que não é necessário ter dinheiro em numerário, adquirir títulos numa máquina de venda ou procurar saber qual o tarifário adequado a cada viagem.

O projeto-piloto integra as estações Aeroporto, Senhora da Hora, Casa da Música, Trindade da Linha Violeta e ainda as estações Campanhã, Bolhão, Campo 24 de Agosto, São Bento e Aliados (estas na Linha Amarela ou comuns às linhas A, B, C e F do Metro) e também os autocarros da linha 500 da STCP Praça da Liberdade / Matosinhos (Mercado).

Cada viagem custa €2.00 e é válida por 1h15m no Metro do Porto e na STCP, independentemente do número de embarques nesse período em qualquer uma das estações e paragens acima referidas.

Se o cliente realizar 4 ou mais viagens num dia, aplica-se o tarifário mais vantajoso, sendo o limite máximo €7.00, equivalente a um título diário Andante Tour, podendo o cliente viajar ilimitadamente.

Um estudo de mercado recente da C Space, em colaboração com a Visa, demonstra que, 44% dos utilizadores dos transportes públicos acreditam que utilizariam mais frequentemente este meio de transporte se os pagamentos contactless estivessem disponíveis, e 60% deles esperam seriamente que, no futuro, a tecnologia contactless esteja disponível nos transportes públicos. Relativamente aos sistemas de pagamento preferidos, 63% dos utilizadores de transportes públicos afirmam ter um cartão contactless e utilizam-no para fazer compras.

TIAGO BRAGA: “É UM IMPORTANTE PASSO EM FRENTE EM TERMOS DE INOVAÇÃO E DESMATERIALIZAÇÃO DA BILHÉTICA

Tiago Braga, presidente do Conselho de Administração do TIP – Transportes Intermodais do Porto, ACE e da Metro do Porto, SA considera que, “embora se trate de um projeto-piloto, a disponibilização de uma solução contactless no Porto, é um importante passo em frente em termos de inovação e desmaterialização da bilhética. É mais um avanço do sistema Andante, depois de termos introduzido a aplicação móvel ANDA, em 2018, que nos permite prescindir cada vez mais dos suportes em papel e em plástico, com todas as vantagens que daí decorrem para a sustentabilidade ambiental.”

“Por outro lado, quero também destacar que somos uma primeira linha de desenvolvimento tecnológico no setor dos transportes públicos. Estamos alinhados na prioridade à inovação apontada à disponibilização de soluções mais práticas, mais limpas, mais amigáveis e mais seguras, que acrescentam valor e induzem a captação de clientes” afirma Tiago Braga.

Com este serviço, o Porto junta-se agora a outras cidades europeias, tais como Madrid, Londres, Turim e Bona, que também estão a possibilitar aos seus passageiros deslocarem-se de uma forma simples, segura e conveniente. A Área Metropolitana do Porto situa-se na vanguarda da mobilidade urbana com pagamentos contactless.

O estudo foi encomendado pela Visa e realizado pela C Space em Junho de 2021, através de um inquérito de 15 perguntas, com 201 indivíduos portugueses, de forma a compreender o comportamento e hábitos atuais e passados (antes da Covid 19) do trânsito público em Portugal, destacando como os pagamentos contactless seriam encarados no caso de serem integrados no sistema de pagamento e avaliar potenciais barreiras às opções sustentáveis de transporte público.

 

Texto: Metro do Porto / Etc e Tal jornal

Foto: pesquisa Web

 

01ago21

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.