Menu Fechar

Exposição itinerante “Banco de Pescadores” voltou à praia da Aguda

A comunidade piscatória da praia da Aguda que protagoniza o projeto que resultou na exposição itinerante “Banco de Pescadores”, através do registo fotográfico realizado por Tiago Martins, numa iniciativa da Associação Cultura Curto Espaço, voltou a receber no espaço público, depois da sua inauguração em julho de 2018, mais de quatro dezenas de retratos de pescadores da praia da Aguda, em Arcozelo, concelho de Vila Nova de Gaia, que foram fotografados em 2017 e 2018, num cenário alusivo à relação desta comunidade com o mar, através da pesca artesanal que ali remonta por volta de 1870, quando pescadores da Afurada e de Espinho se instalaram nesta praia.

Banco de Pescadores – Praia da Aguda”, é o titulo da exposição em que cada um dos pescadores foi fotografado num registo único e pessoal, sentado num banco de madeira, como cenário criado especialmente para o efeito, com recurso a madeira proveniente de restos de embarcação.

Também a elaboração da sua estrutura, para ser itinerante e ao ar livre, sujeita às condições atmosféricas, se propôs representar o “vigor e robustez dos pescadores”, segundo a organização, que levou este evento cultural a vários pontos do Concelho, dando desta forma, “a conhecer a força da nossa cultura local”.

Decorreu assim uma longa itinerância, que levou os retratos dos pescadores da praia da Aguda, devidamente identificados, que nesta praia estiveram expostos de 15 de julho de 2018 a 30 de março de 2019, seguindo-se um programa que incluiu: “Instantes” Festival Internacional de Fotografia de Avintes (fevereiro e março de 2019), Arcozelo (março a setembro de 2019), Centro de Vila Nova de Gaia (setembro e outubro de 2019), e Douro Marina Vila Nova de Gaia (maio a julho de 2021).

Em plena época balnear e como cartaz cultural que desperta curiosidades dos veraneantes naquela praia, “Banco de Pescadores” voltou para o seio da sua comunidade na praia da Aguda, em que os verdadeiros protagonistas por ali convivem entre diferentes gerações, nas principais artérias que têm como pano de fundo, o porto de abrigo para pescadores e embarcações que continuam ligados à faina no mar, onde buscam a sobrevivência da família.

Grande parte destes pescadores “modelos”, captados com naturalidade pelo fotógrafo, que refletem a condição de reformados da atividade piscatória. Mostram nesta iniciativa, o quanto podem contribuir para enriquecer a história e o património local, através das muitas memórias, perpetuadas não só no registo fotográfico, mas também, num catálogo que compila as informações recolhidas junto dos participantes neste projeto da Associação Cultura Curto Espaço, com apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia e Junta de Freguesia de Arcozelo, bem como da Direção Regional Cultura Norte, entre várias outras entidades, como Estação Litoral da Aguda ou o Museu Marítimo de Ílhavo.

Este projeto cultural insere-se nos objetivos da Associação Cultura Curto Espaço, que foi criada em 2006 com o objetivo de “mexer culturalmente a Praia da Aguda, levando e trazendo cultura. Esta iniciativa tem um valor muito especial, foi envolver diretamente a nossa comunidade piscatória”, conclui a organização.

 

Texto e fotos: José Lopes

 

01set21

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.