Menu Fechar

Museu de Ovar – Fotógrafa Carla Barroso Coelho expõe a sua arte sob o tema “O Afecto da Diferença”

A exposição de fotografia subordinada ao tema “O Afecto da Diferença” que a sala dos Fundadores no Museu de Ovar acolhe até de agosto, reúne alguns dos trabalhos da fotógrafa profissional Carla Barroso Coelho, apresentados em serigrafias de grande formato, através da impressão monocromática de elevada definição em tecido, que os visitantes, em quem é criado grande impacto, ainda podem, através de simples apalpação do tecido, comprovar a grande qualidade desta técnica de mostrar obras de arte em que a autora partilha a sua paixão de “fotografar pessoas”.

 

José Lopes

(texto e fotos)

 

 

Nesta exposição, em que se podem ver alguns dos modelos que trabalham com Carla Barroso Coelho, e em que a fotógrafa incluiu um lugar especial ao ator falecido Rogério Samora, de quem guarda extraordinárias memórias da sua irreverencia e de uma profunda relação de amizade profissional em estúdio, durante cerca de quatro anos. Foram também dados a conhecer alguns dos trabalhos que vem fazendo com a APPACDM da Trofa, que visa “promover a integração e a defesa do cidadão com deficiência mental enquanto ser humano com pleno direito à sua individualidade, ao seu bem-estar e à sua participação ativa na comunidade”, segundo a “missão” desta instituição da Trofa em que vive e trabalha como fotografa.

Com a presença dos membros da direção do Museu de Ovar, António Dias e Martim Guimarães, e em representação da União das Freguesias de Ovar (UFO) Joana Coelho, a autora da exposição “O Afecto da Diferença” Carla Barroso Coelho, rodeada de amigos e familiares no dia da inauguração (14 de maio), dedicou a sua carreira e paixão pela arte da fotografia, ao pai José Barroso Coelho, que, de máquina fotográfica em punho, se mostrou orgulhoso e admirador do trabalho da sua filha, destacando que, “quando tem um objetivo consegue-o”.

Nascida a 16 de julho de 1971 na cidade de Santo Tirso, Carla Barroso Coelho, mãe de quatro filhos “que me inspiram todos os dias”, afirma que convive com a fotografia “desde que nasci, partilho este amor com o meu Pai, meu primeiro Mestre que me apoia incondicionalmente em todos os meus projetos fotográficos”.

Como partilhou com os presentes nesta mostra do seu trabalho no Museu de Ovar, “para mim fotografar pessoas é uma forma de amar, uma sensível troca de Amor que nasce de uma relação íntima de colaboração entre mim e o retratado”. Porque, “retratar pessoas conecta-me profundamente com a raiz e a essência de cada um”. Afirma Carla Barroso Coelho, para quem, “o foco está no olhar, que fala, que grita, que acalma, que ama, que ri, que chora, que assusta, que demora, que encontra, que procura o que nunca ignora”. Conclui a fotógrafa de retrato, artístico e institucional, que mostra no Museu de Ovar os registos fotográficos que refletem a profunda relação com os seus modelos, nomeadamente no âmbito de projetos como o que dá titulo à exposição “O Afecto da Diferença”.

 

04jun22

 

 

 

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.