Menu Fechar

Concerto dos GNR & Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música marcou o final do ‘Festival Matosinhos em Jazz’ com uma multidão a assistir ao espetáculo

O Festival Matosinhos em Jazz chegou ontem (30jul22) ao fim com o concerto dos GNR & Orquestra Sinfónica do Porto Casa da MúsicaA Praça Guilhermina Suggia foi, pela segunda vez, palco este fim de semana de mais um grande concerto de jazz e encheu-se de gente para ouvir os temas originais dos GNR com arranjos orquestrais de Telmo Marques. Abel Pereira esteve na direção musical.

Uma noite em que os GNR foram escutados em versão sinfónica. Um dos mais valiosos patrimónios do pop/rock nacional foi revisitado com novos arranjos de Telmo Marques, um músico que conhece como poucos aqueles repertórios, sendo autor de vários arranjos da discografia da banda.

Entre a vasta multidão que assistiu ao concerto estiveram a presidente da Câmara, Luísa Salgueiro, o vereador da Cultura, Fernando Rocha, e o vereador Vasco Pinho.

Rui Reininho, Toli César Machado e Jorge Romão escreveram páginas inesquecíveis da música que nos levou através dos anos 80 e 90, conquistaram o público sem deixar de o desafiar, e foram a primeira banda portuguesa a encher estádios de futebol. Juntaram-se à Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, trazendo para o palco canções que se tornaram autênticos clássicos, logo quando foram lançadas, como “Vídeo Maria”, “Pronúncia do Norte”, “Morte ao Sol”, “Efectivamente”, “Dunas” e “Sangue Oculto”, entre outras. Um concerto em modo de celebração, inserido no festival Matosinhos em Jazz 2022.

Recorde-se que este foi o último concerto inserido no Matosinhos em Jazz deste ano. A terceira edição do festival recebeu concertos durante todos os fins de semana do mês de julho. Passaram pelo coreto do Parque Basílio Teles artistas como Alfamist, Jéssica Pina, Ashley Henry, Mimi Froes, Camilla Jorge e Raquel Martins. Ontem, também na Praça Guilhermina Suggia, esteve em palco Manuela Azevedo & Orquestra Jazz de Matosinhos.

O festival de música arrancou no início deste mês com a exposição de obras criadas por vários artistas portugueses que consistiu numa releitura de capas icónicas da história mundial do jazz. André Tentúgal, Clara Não, Joana Linda, João Fazenda e Vasco Gargalo formaram o leque de artistas que aceitaram o desafio de repensar capas icónicas de álbuns de artistas como Charles Mingue, Nina Simone, Ornette Coleman, Sonny Rollins, e Chet Baker. A exposição continua em exibição até ao final do dia de hoje, no Parque Basílio Teles.

 

Texto e fotos: Gabinete de Comunicação da CM Matosinhos / Etc. e Tal

 

 

31jul22

 

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.