Menu Fechar

Dia da Galiza assinalado com visita do Rei de Espanha a Santiago de Compostela

Pelo terceiro ano consecutivo, o rei Felipe VI fez a oferta ao Apóstolo, no passado 25 de julho, Dia da Galiza. E fê-lo acompanhado da Rainha Letizia e de suas filhas, princesa Leonor e Infanta Sofía. As suas primeiras palavras dentro da basílica foram para lamentar os incêndios que nestas semanas devastam diferentes partes da geografia espanhola, incluindo a Galiza, e mostrar sua solidariedade com os afetados.

“Quero transmitir nosso afeto e apoio a todas as pessoas que sofreram e que ainda sofrem as terríveis consequências dos incêndios que estão devastando tantos lugares na Espanha.” Especificamente, ele referiu-se à comunidade galega, “que sabe bem o que é sofrer o flagelo dos incêndios e também sofreu intensamente com esta última onda de fogo”.

Felipe VI agradeceu o esforço de todos que participaram nas tarefas de extinção e pediu ao apóstolo Santiago “a proteção daqueles que lutam dia a dia contra esse drama”. O rei, na sua terceira oferta consecutiva, lembrou que a Europa nasceu da peregrinação, de modo que o Caminho “pode-se dizer que foi o primeiro projeto europeu comum”.

Um projeto comum que assume uma relevância especial agora, “quando o horror da guerra reaparece no velho continente”, por isso é necessário reivindicar juntos “os valores cívicos, culturais e espirituais do Caminho de Santiago”.

A primeira parte desse biênio Xacobeo, 2021, ficou muito marcada pela pandemia, mas longe do esperado, Felipe VI insistiu, “neste 2022 as incertezas permanecem, não só no campo da saúde, mas também aquelas relacionadas à paz ou à economia”. É por isso que o Rei pediu ao Apóstolo “para nos ajudar a colocar em cima certezas que servem como guia não nós vieiro daqui em adiante”, ressaltou.

Por fim, o rei agradeceu ao Apóstolo pela sua proteção e pediu ajuda “para que nosso país tome os passos certos nesta fase, não sem obstáculos”. Durante a homilia tanto Letizia quanto suas filhas fizeram uso de seus fãs no calor que foi registrado no templo, especialmente o Benjamin, Sofia.

Os reis, acompanhados de suas filhas, chegaram à praza do Obradoiro, às 12h00, onde várias autoridades os esperavam, incluindo o presidente do Xunta, Alfonso Rueda, os vice-presidentes do governo central, Yolanda Díaz e Nadia Calviño, ou o presidente do Partido Popular, Alberto Núñez Feijo. A companhia de honras mistas, formada pelo Brilat de Pontevedra e infantaria e marinha de Ferrol, executou uma pequena parte do hino da Espanha e, em seguida, o rei revisou as tropas. Após cumprimentar as autoridades concentradas na Obradoiro, a delegação entrou na Catedral de Santiago através da escadaria principal e cercada pelos aplausos das centenas de cidadãos que puderam acessar esta praça.

 Após o término da missa, a família real retornou à Praça do Obradoiro, onde três membros da Patrulha Acrobática do Exército Aéreo e Espacial desceram ao Obradoiro de paraquedas. Os reis também saudaram os jovens membros da rota quetzal e o escultor Manolo Paz, que exibe temporariamente uma obra de suas obras nesta praça. O ato oficial terminou com a assinatura do Livro de Ouro do Conselho da Cidade por suas majestades, que então retornam a Madrid.

 

Texto: Elisa Álvarez (La Voz de Galicia) / Etc. e Tal

Foto: Xoana Soler (La Voz de Galicia)

 

26jul22

Partilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.